Siga-nos

Perfil

Economia

Energia

EDP corta investimento em 23%

  • 333

O investimento do grupo presidido por António Mexia este ano será de 1,3 mil milhões de euros, enquanto o lucro deverá rondar os 900 milhões, anunciou a empresa

Miguel Prado

Miguel Prado

Jornalista

A EDP projeta para este ano realizar investimentos de 1,3 mil milhões de euros, valor que corresponde a um corte de 23% face aos 1,7 mil milhões aplicados em 2015, de acordo com a apresentação a analistas e investidores que a elétrica enviou à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

A queda no investimento em 2016 é explicada, em grande medida, pela conclusão dos investimentos em barragens em Portugal, já que o programa para aplicar 2 mil milhões de euros em capacidade hídrica está quase terminado.

Nas suas projeções para este ano a EDP prevê ainda alcançar um resultado líquido em torno dos 900 milhões de euros, ou seja, em linha com os 913 milhões de lucro com que fechou 2015. Esta projeção para 2016 parte do pressuposto de que o grupo conseguirá baixar o custo médio da sua dívida para 4,5%, ou seja, 20 pontos-base abaixo do custo médio em 2015.

Por outro lado, e conforme António Mexia já havia revelado na quinta-feira, a EDP espera reduzir a sua dívida líquida para 16,5 mil milhões de euros (face a 16,9 mil milhões de euros em janeiro). Para isso contribuirá a queda no investimento, bem como eventuais operações de venda de dívida tarifário e ainda a maior geração de fluxos de caixa das suas operacionais.

A EDP espera em 2016 obter um EBITDA (resultado antes de juros, impostos, depreciações e amortizações) superior a 3,6 mil milhões de euros. Em 2015 o EBITDA do grupo ascendeu a 3,9 mil milhões de euros.

Um terço deste resultado virá das renováveis, 26% do negócio regulado de redes de eletricidade e gás na Península Ibérica, 15% do Brasil, 14% da produção de eletricidade em Portugal e Espanha com contratos de longo prazo e 12% dos negócios ibéricos feitos em condições de mercado.