Siga-nos

Perfil

Economia

Energia

Iberdrola mantém barragens do Tâmega no seu plano de investimento

  • 333

Empresa espanhola confirma que o projeto de 1,2 mil milhões de euros em Portugal é para avançar e deverá estar concluído em 2021

Miguel Prado

Miguel Prado

Jornalista

A Iberdrola pretende investir globalmente 24 mil milhões de euros entre 2016 e 2020 e dentro desse pacote estarão os investimentos no complexo hidroelétrico do Alto Tâmega, em Portugal, para construir três barragens.

O projeto do Alto Tâmega começou a ser pensado pela Iberdrola em 2008, quando o grupo espanhol ganhou quatro licenças no concurso de centrais hidroelétricas então realizado pelo Governo português. Por motivos ambientais, a Iberdrola acabaria por redesenhar o seu projeto, reduzindo-o de quatro para três empreendimentos.

Apesar da morosidade associada ao licenciamento e à obtenção de financiamento, a Iberdrola não descartou o projeto da sua carteira de investimentos. No Alto Tâmega, a Iberdrola deverá aplicar 1,2 mil milhões de euros, para obter uma capacidade instalada de 1.160 megawatts (MW). Será um dos maiores complexos hidroelétricos do país.

No plano de investimentos apresentado esta quarta-feira ao mercado, a Iberdrola confirma que o projeto do Alto Tâmega é para avançar e deverá estar concluído em 2021. Um prazo que antecipa a data de conclusão que a companhia chegou a estimar (2023).

As barragens da Iberdrola deverão gerar 3500 empregos diretos durante a construção. A capacidade instalada permitirá produzir anualmente 1800 gigawatts hora (GWh), o equivalente a 4% do consumo elétrico português.

A confirmação do investimento da empresa espanhola surge num momento em que o Governo português pretende "reavaliar o Plano Nacional de Barragens, no que diz respeito às barragens cujas obras não se iniciaram".

No caso da Iberdrola, a empresa espanhola já avançou no terreno com alguns trabalhos prévios, nomeadamente os associados à expropriação de terrenos. Mas a "fatia de leão" dos investimentos de 1,2 mil milhões de euros no Alto Tâmega irá concentrar-se no período de 2018 a 2020, segundo a empresa.