Siga-nos

Perfil

Economia

Energia

EDP vende mais uma parcela de défice tarifário

  • 333

A elétrica liderada por António Mexia vai receber de imediato cerca de 90 milhões de euros relativos a custos do sistema elétrico nacional que ainda não foram cobertos pelas tarifas pagas pelos consumidores

Miguel Prado

Miguel Prado

Jornalista

A EDP anunciou esta segunda-feira uma nova operação de venda de défice tarifário, pela qual receberá de imediato 93 milhões de euros relativos a sobrecustos do sistema elétrico nacional que ainda não foram recuperados através das tarifas cobradas aos consumidores de eletricidade.

Em comunicado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) a EDP explica que a nova operação de titularização diz respeito a uma parcela de défice tarifário gerado em 2014 e relativo aos custos da produção em regime especial (que engloba, entre outras fontes, as energias renováveis e as centrais de cogeração).

Com este negócio a EDP encaixa desde já o valor que, de outro modo, só receberia ao longo dos próximos quatro anos, acrescido de juros, através da aplicação das tarifas de eletricidade fixadas pela Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE). A EDP não revelou quem foram os investidores que adquiriram estes créditos sobre o sistema elétrico nacional.

A titularização de défice tarifário tem sido uma estratégia da administração liderada por António Mexia que permite antecipar receitas e reduzir o próprio endividamento do grupo EDP.

No final de setembro a EDP contabilizava como créditos seus um total de 2.446 milhões de euros de recebimentos futuros das atividades reguladas, um montante que diz respeito sobretudo à dívida tarifária do sector elétrico em Portugal, mas que inclui também dívida tarifária noutros mercados em que a EDP está, como Espanha e Brasil.

Especificamente no sistema elétrico português a EDP contabilizava em setembro uma dívida tarifária global de 5,2 mil milhões de euros, dos quais 2,2 mil milhões devidos à EDP e 3 mil milhões por pagar a outros investidores que entretanto adquiriram esses créditos tarifários.

A dívida líquida do grupo EDP no final de setembro ascendia a 17,3 mil milhões de euros, segundo as últimas contas publicadas pela companhia.