Siga-nos

Perfil

Economia

Energia

EDP Renováveis disputa eólicas offshore na Holanda

  • 333

Empresa portuguesa alia-se a alemães e australianos para concorrer ao leilão que a Holanda iniciará em dezembro para um primeiro parque de 700 megawatts. O vencedor será anunciado até julho do próximo ano

Miguel Prado

Miguel Prado

Jornalista

A EDP Renováveis criou um consórcio internacional, juntamente com a alemã RWE Innogy e com a australiana Macquarie Capital, para disputar o próximo concurso de energia eólica offshore na Holanda.

A empresa portuguesa, a RWE e a Macquarie irão concorrer aos lotes denominados Borsselle 1 e Borsselle 2, que prevêem a construção de uma capacidade eólica no mar na ordem dos 700 megawatts (MW).

A EDP Renováveis e a RWE Innogy assumem a componente operacional do consórcio, enquanto a Macquarie Capital será o consultor financeiro do agrupamento.

“A combinação da experiência e da capacidade das três empresas torna-nos um forte candidato nos processos concursais de eólicas offshore que se aproximam e que serão lançados pelas autoridades holandesas”, comentou, em comunicado, o presidente executivo da EDP Renováveis, João Manso Neto.

Entre 2015 e 2019 a Holanda irá leiloar licenças de exploração para cinco parques eólicos no mar, cada um deles com 700 MW de potência, o que criará neste país europeu uma potência adicional de eólica offshore de 3500 MW.

O concurso para os lotes de Borselle 1 e 2 (cada um deles com 350 MW) deverá decorrer entre 1 de dezembro de 2015 e 31 de março de 2016. Os vencedores deverão ser anunciados pelo Governo holandês o mais tardar até ao início de julho do próximo ano.

Este é o terceiro projeto de energia eólica no mar em que a EDP Renováveis participa. A empresa tem já em curso um empreendimento em Portugal, ao largo da Póvoa de Varzim, onde instalou uma primeira torre de demonstração, com uma turbina de 2 MW, para testar a viabilidade da plataforma flutuante desenvolvida pela sua parceira Principle Power.

O grupo tem ainda um projeto para um parque eólico na Escócia, no mar do Norte, para o qual precisa ainda de garantir contratos de cobertura do preço de venda da eletricidade. Neste projeto na Escócia a EDP Renováveis passou este ano a contar com a participação da China Three Gorges.