Siga-nos

Perfil

Economia

Energia

Mira Amaral denuncia "queixas sistemáticas" sobre qualidade de serviço da energia

  • 333

O dirigente da CIP considera que há problemas de falta de investimento na rede elétrica, em especial nas regiões de Leiria e Santarém, mas o presidente da EDP Distribuição contesta.

Miguel Prado

Miguel Prado

Jornalista

Luís Mira Amaral, dirigente da confederação empresarial CIP com o pelouro da energia, revelou que à instituição têm chegado "queixas sistemáticas das empresas sobre a qualidade de serviço da rede de distribuição da EDP". 

"Quando a gestão de topo da EDP envereda por um plano de internacionalização é a EDP Distribuição que, a meu ver, sai a perder", lamentou Mira Amaral num seminário promovido esta terça-feira pela Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE). 

Mira Amaral admitiu que "a EDP Distribuição apresenta disponibilidade para atuar", mas sublinhou também que "há problemas de investimento na qualidade de serviço que são responsabilidade dos operadores". 

Ainda assim, segundo o membro do Conselho Geral da CIP, há situações onde os problemas sentidos pelas empresas são mais responsabilidade delas próprias do que dos fornecedores de energia. "A culpa nalguns casos é da rede, noutros casos é das empresas", notou Luís Mira Amaral, assinalando que no caso dos microcortes de eletricidade, que por vezes geram perturbações significativas no funcionamento de várias indústrias, há soluções técnicas que as empresas consumidoras podem adotar para evitar os prejuízos.

Face às críticas feitas por Mira Amaral, o presidente da EDP Distribuição, João Torres, assegurou que a elétrica portuguesa continua a investir na sua rede em Portugal. "Quando comparamos o país entre o que era em 2004 e o que é hoje, o país está muito melhor em termos de rede de distribuição elétrica", referiu João Torres. 

"Nunca o acionista EDP inibiu a EDP Distribuição de investir na rede. Nos últimos anos temos investido sempre ao mesmo ritmo", acrescentou o gestor durante o seminário realizado pela ERSE para debater a qualidade de serviço no sector elétrico.

Mira Amaral também destacou que os distritos de Santarém e Leiria têm sido particularmente atingidos por problemas de qualidade no abastecimento de energia elétrica. Mas João Torres replicou que o trabalho de investimento da EDP Distribuição também tem passado por Santarém e Leiria.

O seminário realizado pela ERSE em Lisboa terminou com a assinatura de um protocolo para a sensibilização das empresas para a questão da importância de monitorizar os equipamentos elétricos, fazer a sua manutenção e, assim, ajudar a manter a qualidade de serviço técnica no abastecimento de eletricidade. 

Consumidores com mais informação em setembro

A ERSE está entretanto a preparar a publicação de um relatório detalhado sobre a qualidade de serviço do sector elétrico, que abrangerá não apenas dados das empresas reguladas mas também informação relativa aos comercializadores de energia no mercado liberalizado. 

O relatório, segundo a entidade presidida por Vítor Santos, deverá ser publicado em setembro, ainda antes de a ERSE apresentar a sua proposta de tarifas de eletricidade para 2016. 

O sector elétrico já é objeto de uma monitorização do regulador ao nível da qualidade de serviço, não apenas técnica mas também comercial, que passa pela publicação de um relatório anual, mas até agora esse reporte de informação abrangia somente as empresas reguladas (como a REN, a EDP Distribuição e a EDP Serviço Universal).