Siga-nos

Perfil

Economia

Energia

Galp é a empresa que mais cresce no mercado liberalizado de eletricidade

  • 333

EDP manteve a liderança, mas ao longo do primeiro trimestre a Galp foi o operador que mais cresceu.  

Miguel Prado

Miguel Prado

Jornalista

A Galp foi a empresa que ganhou mais quota no primeiro trimestre no mercado liberalizado de eletricidade, num crescimento conseguido principalmente com a conquista de novos contratos de abastecimento a clientes industriais e a pequenas e médias empresas.    

O mais recente relatório da Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) revela que a Galp alcançou no final de março uma quota de 8,3% no abastecimento de energia no mercado liberalizado de eletricidade, face a 6,6% em dezembro. No mesmo período a posição da EDP, que continua na liderança, recuou de 45,9% para 44,9%. Endesa e Iberdrola também perderam quota de mercado, ao contrário da Gas Natural Fenosa, que reforçou a sua posição.  

Para a Galp foi especialmente relevante a subida de quota no abastecimento de clientes industriais, que passou de 8,2% em dezembro para 12,2% em março, enquanto nos pequenos negócios a companhia agora presidida por Carlos Gomes da Silva viu a sua quota melhorar de 9,7% para 10,2%.  

Apesar da conquista de importantes fornecimentos empresariais no primeiro trimestre, a Galp permaneceu em quarto lugar entre os maiores comercializadores do mercado liberalizado de eletricidade, atrás da EDP, Endesa e Iberdrola.   

A EDP conservou o primeiro lugar em todas as classes de consumo, mas no segmento de grandes consumidores sofreu uma descida da sua quota de mercado de 30,1% em dezembro de 2014 para 27,5% em março, enquanto no fornecimento a clientes industriais melhorou a sua posição, de 26,9% para 27,3%. 

EDP com mais de 80% do consumo doméstico
No que respeita ao segmento de consumo doméstico, a EDP manteve igualmente o primeiro lugar, ainda que a sua quota tenha descido ligeiramente, de 81,3% em dezembro para 80,5% em março, revela o relatório da ERSE.  

No mercado residencial registou-se no primeiro trimestre uma recuperação da espanhola Endesa, cuja quota de mercado subiu de 4,9% para 5,5%, mas os restantes operadores ficaram com as suas posições praticamente inalteradas.  

Os maiores comercializadores de eletricidade para clientes domésticos são, segundo a ERSE, a EDP (80,5%), Endesa (5,5%), Iberdrola (4,4%), Galp (3,9%) e Gas Natural Fenosa (3,7%), seguidas da Audax (1,1%) e Yes Low Cost Energy (0,4%).  

Mercado liberalizado já tem mais de 3,9 milhões de clientes 
No final de março o mercado liberalizado de eletricidade já tinha mais de 3,9 milhões de clientes, dos cerca de 6 milhões de clientes de energia elétrica que há em Portugal. Nesse universo incluem-se 3,85 milhões de famílias e cerca de 52 mil empresas. Segundo a ERSE, no mercado regulado permanecem 2,17 milhões de famílias e pouco mais de 5 mil empresas.  

Os dados do regulador mostram que o peso do mercado liberalizado no volume total de energia elétrica consumida em Portugal ascendia no final de março a 86,1%, mais três pontos percentuais do que no final de 2014 e cerca de dez pontos percentuais acima do registo de março do ano passado.  

Contabilizando apenas os fluxos do mês de março, o mercado liberalizado conquistou 88 mil novos clientes (é o saldo da entrada de 99 mil clientes e da perda de quase 11 mil contratos).