Siga-nos

Perfil

Economia

Dívida

Portugal entre os campeões do sobreendividamento

Grécia, Japão, Portugal, Itália e Irlanda continuarão a ser em 2015 as cinco economias com dívida pública líquida superior a 100% do PIB, segundo as projeções do FMI.

Portugal continuará entre as cinco economias com mais elevado sobreendividamento público líquido em relação ao produto interno bruto (PIB) em 2015, segundo as projeções do Fundo Monetário Internacional no "Fiscal Monitor", divulgado esta quarta-feira à tarde em Washington, nos Estados Unidos, no âmbito da reunião da primavera do Fundo que se iniciará na sexta-feira.

O pico da dívida pública líquida portuguesa em relação ao PIB deve ser atingido este ano, registando 119,9%. A trajetória vai inverter-se posteriormente, segundo as previsões do FMI.

Sublinhe-se que esta avaliação do sobreendividamento não diz respeito ao valor absoluto da dívida, mas ao rácio que a compara com o produto do país. Em termos absolutos, os campeões do endividamento líquido em 2013 foram os EUA (com 13,7 biliões de dólares) e o Japão (com o equivalente a 6,3 biliões de dólares), segundo dados do FMI.

A dívida pública líquida portuguesa (inferior à dívida bruta que usualmente se usa como critério nas comparações internacionais) descerá ligeiramente para 119,2% em 2015, o que a coloca ainda entre as cinco economias com níveis de sobreendividamento acima de 100% da riqueza nacional. A dívida líquida obtem-se descontando na dívida bruta os ativos financeiros e a liquidez do Estado.

No caso do Japão, a avaliação do rácio em termos de dívida bruta ou líquida implicava uma diferença de 109 pontos percentuais em 2013, o que significa que, em termos de dívida bruta, a economia nipónica lidera mundialmente com 243% do PIB; no caso português, o diferencial era, no ano passado, de pouco mais de 10 pontos percentuais. Em termos brutos, o rácio italiano é superior ao português, mas em termos líquidos as posições invertem-se.

 

Japão e Grécia nos lugares cimeiros

O campeão do rácio da dívida pública líquida em relação ao PIB é a Grécia, com um pico de 169,3% do PIB em 2014 e uma descida para 166,9% em 2015. O segundo lugar é ocupado pelo Japão, que fixará um novo máximo de 140% em 2015. Segue-se Portugal na terceira posição e depois Itália, com um pico de 112,4% em 2014 e uma descida para 111,2% no ano seguinte. Finalmente, a Irlanda surge com um pico de 103,5% no final do corrente ano e 103,4% no ano seguinte. Não estão disponíveis dados para a dívida líquida de Chipre.

Em 2015, a dívida pública líquida média à escala mundial registará 64,4% do PIB, com a zona euro em 72,6%. As economias emergentes registarão um rácio médio muito baixo, de 24,2%. A Alemanha registará 49,9%.

O campeão da subida do rácio da dívida pública líquida no PIB entre 2008 e 2013 foi a Irlanda, com um disparo de 79,1 pontos percentuais. Seguiu-se a Grécia, com um aumento de 55,6 pontos percentuais, apesar da reestruturação parcial da dívida ocorrida em 2012, e Portugal, com uma subida de 50,9 pontos percentuais. Em finais de 2008, Irlanda, Itália, Portugal e Japão não estavam no "clube" dos países com dívida pública líquida superior a 100% do PIB. O Japão entrou nesse "clube" em 2009, a Itália em 2010, Portugal em 2012 e Irlanda em 2013.

As projeções do FMI estendem-se até 2019. Nessa altura, segundo o "Fiscal Monitor", a Irlanda terá saído do "clube" do rácio da dívida pública líquida acima de 100% do PIB, mas Japão, Grécia, Portugal e Itália permanecerão. O Japão continuará a fixar novos máximos, atingindo 143,8% em 2019. O rácio da dívida portuguesa deverá, por essa altura, descer para 109% do PIB.