Siga-nos

Perfil

Economia

Carros

Jaguar volta a fabricar desportivo dos anos 60

Até ao verão será fabricado um número limitado de desportivos Jaguar E-Type Lightweight, seguindo todas as especificações originais, incluindo a continuação do número de série das unidades produzidas em 1963.

J. F. Palma-Ferreira

A divisão de competição da Jaguar preparou o E-Type Lightweight que deu a vitória a Graham Hill, em maio e julho de 1963, no circuito de Silverstone
1 / 5

A divisão de competição da Jaguar preparou o E-Type Lightweight que deu a vitória a Graham Hill, em maio e julho de 1963, no circuito de Silverstone

O Jaguar E-Type Lightweight utilizou um motor originariamente concebido para o modelo XK 3.8, que foi tornado mais leve com recurso a elementos fundidos em alumínio
2 / 5

O Jaguar E-Type Lightweight utilizou um motor originariamente concebido para o modelo XK 3.8, que foi tornado mais leve com recurso a elementos fundidos em alumínio

A carroçaria das novas seis unidades do E-Type Lightweight é fabricada artesanalmente em painéis de alumínio e segue as especificações dos modelos de 1963
3 / 5

A carroçaria das novas seis unidades do E-Type Lightweight é fabricada artesanalmente em painéis de alumínio e segue as especificações dos modelos de 1963

A traseira das novas unidades do Jaguar E-Type recorre ao processo de fabrico dos veículos produzidos há cinco décadas
4 / 5

A traseira das novas unidades do Jaguar E-Type recorre ao processo de fabrico dos veículos produzidos há cinco décadas

O bloco de motor é o mesmo '3.8 litros' fundido há 50 anos e o número de série dos novos E-Type mantém a sequência dos carros fabricados em 1963
5 / 5

O bloco de motor é o mesmo '3.8 litros' fundido há 50 anos e o número de série dos novos E-Type mantém a sequência dos carros fabricados em 1963

Se no próximo verão vir a circular, em estado imaculado, um dos mais míticos carros desportivos dos anos 60 - o Jaguar E-Type Lightweight - é muito provável que não seja um modelo reconstruído, nem uma cópia, mas antes um modelo genuíno. É verdade: a marca britânica voltou a fabricar um número muito limitado de novos E-Type.

Tudo isto aconteceu por iniciativa do gigante industrial indiano Tata, dono da marca Jaguar, concretizando o sonho que tem alimentado a imaginação de muitos adeptos dos automóveis clássicos britânicos e sobretudo, dos fãs do desporto automóvel: voltar a fabricar os carros em que correram pilotos tão famosos como Graham Hill, Jackie Stewart, Roy Salvadori e Briggs Cunningham.

Para o comum dos mortais, este projeto seria uma utopia, pelo custo astronómico que implicaria, mas para o grupo empresarial indiano - proprietário de um conglomerado industrial à escala mundial, que vai da indústria automóvel à siderurgia pesada - que possui uma enorme capacidade financeira, a recriação do Jaguar E-Type é essencialmente uma operação de marketing com projeção mundial.

Só foram fabricados 12 dos 18 previstos

Desta forma, a Jaguar já está a produzir uma série limitada de seis unidades do modelo E-Type Lightweight de 1963. Originalmente, apenas foram fabricados 12 exemplares deste modelo, destinados à competição automóvel.

O Jaguar E-Type Lightweight é a versão mais carismática deste desportivo britânico que já foi lançado há 51 anos. E a razão de ser da produção, agora, de apenas meia dúzia de unidades do E-Type tem a ver com o facto de serem as seis que nunca chegaram a ser fabricadas na série original, que previa a montagem de 18 Lightweight e que iria fabricar carros para as provas de competição automóvel da categoria GT.

Como em 1963 só foram fabricados 12 E-Type Lightweight - uma versão do E-Type que pesava menos 114 quilos, porque tinha carroçaria em alumínio e um bloco de motor também em liga leve - a sua série industrial ficou inacabada. A Jaguar vai agora concluir o fabrico das unidades em falta, recorrendo ao mesmo processo de fabrico artesanal, com montagem e acabamentos manuais, carroçaria em alumínio e mantendo a numeração das unidades fabricadas no início dos anos 60.

Cinco décadas depois

Este projeto fabril é coordenado pelo diretor da Jaguar Land Rover Heritage Business, Derek Weale, que reconhece ser uma iniciativa "incrivelmente excitante para a Jaguar, pois completa a série original de 18 veículos 50 anos após a criação do último Lightweight". Efetivamente, a última unidade dos 12 veículos fabricados nos anos 60 já foi entregue em 1964, há precisamente cinco décadas.

Os novos Lightweight estão a ser fabricados artesanalmente pelos especialistas com mais experiência da Jaguar. As suas características respeitam integralmente as especificações técnicas originais de 1963, desde a carroçaria, os rebites e o tipo de óticas, até ao motor de seis cilindros em linha, com 3800 centímetros cúbicos de cilindrada.

No entanto, a Jaguar refere que os clientes deste E-Type "poderão selecionar acabamentos personalizados para o habitáculo e para a carroçaria em alumínio, pintura e autocolantes de patrocinadores e até algumas modificações mecânicas".

Ainda há 11 a funcionar

Entre 1961 e 1975, a Jaguar produziu mais de 72.500 unidades do E-Type. As 12 unidades E-Type Lightweight foram fabricadas em 1963 pelo departamento de competição da Jaguar. A marca diz que atualmente ainda há 11 veículos destes a funcionar.

Os Lightweight foram homologados para participar na categoria GT como E-Type Roadster, modificados com uma série de melhorias. As modificações mais comuns incluíam o chassis monobloco e painéis da carroçaria em alumínio, bloco do motor em alumínio, cabeça de motor melhorada e o motor do modelo "XK 3.8" com lubrificação por cárter seco, injeção eletrónica e tejadilho em alumínio. O número de chassis dos Lightweight usa o prefixo "S".