Siga-nos

Perfil

Economia

Seguros

Seguro automóvel: quem paga menos e quem paga mais

O seu perfil vale um seguro barato? Saiba que professores, habitantes de cidades mais "pequenas" e condutores experimentados pagam um seguro automóvel mais barato do que os demais. Do Alandroal a Lisboa, a diferença pode ascender a 118 euros. Clique para visitar o canal Dinheiro

Nuno Alexandre Silva

Se conduz um dos 4,839 milhões de automóveis seguros em Portugal, já deve ter percebido que não são só a marca, o modelo e a cilindrada que distinguem os "bons" dos "maus" prémios que paga durante o ano. Viver no Alandroal ou na Amadora, ser professor ou operário da construção civil, ser homem ou mulher são variáveis que influenciam o que paga às seguradoras mensal ou anualmente.

Se não, esteja atento aos exemplos. Tomando o automóvel mais vendido na Europa em Fevereiro passado, o Volkswagen Golf VI (1.4 Tsi Confortline) e simulando diferentes perfis de condutores tomadores do seguro nas plataformas online de quatro das sete maiores seguradoras automóvel (as que dispõem de simuladores online), de acordo com os números do Instituto de Seguros de Portugal, a Fidelidade Mundial, a Império Bonança, a Tranquilidade e a Liberty, percebem-se quais as características que minam um seguro barato.

Por exemplo, para um tomador do seguro com 30 anos, com experiência de dez anos de carta de condução e já com cinco anos de seguro sem acidentes e que queira constituir um novo seguro, a diferença pode começar no género. Através da Fidelidade Mundial e da Império Bonança, um homem consegue um preço na ordem dos 314 euros enquanto uma mulher com as mesmas características biográficas paga apenas 305,5 euros anualmente pelos seguros com cobertura mínima Liber 3G e AU-TO-IB XS. Diferença esta que é atenuada em alguns municípios menos habitados, como o Alandroal ou Castelo de Vide, onde as diferenças entre sexos valem apenas cerca de cinco euros. Contudo, a Liberty e a Tranquilidade, por exemplo, não diferenciam homens e mulheres, atribuindo o mesmo prémio anual de 301 e de 268,89 euros, respectivamente.

Também a idade pesa na hora de fazer um seguro automóvel. Se com 30 anos, o seguro automóvel Liber 3G com cobertura de responsabilidade civil mínima obrigatória ficava nos 313,96 euros, com mais dez anos de idade e de carta de condução conseguirá baixar o prémio anual em 70 euros. Uma simulação para o mesmo perfil no Tranquilidade Automóvel permite perceber que entre os 30 e os 40 anos do condutor e mais dez anos de experiência podem significar cerca de 37 euros de diferença, com prejuízo para o mais novo. Mais novos a quem está reservada a pior fatia dos seguros. Simulando o seguro Liber 3G da Fidelidade Mundial para um jovem de 20 anos que acabou de saír da escola de condução e que, por isso, nunca teve um seguro em seu nome, a factura sobe para mais do dobro do montante calculado para o tomador inicial, que pagava 314 euros. Os 648 euros são um valor bem acima do que o que pagará anualmente alguém com o mesmo perfil, mas com mais cinco anos de idade e os mesmos de carta de condução, 437 euros.

Morada e profissão contam

Se viver no município de Lisboa ou na Guarda acarreta já inúmeras diferenças, os seguros comportam uma outra, prémios diferenciados. Por exemplo, o seguro automóvel essencial da quinta maior seguradora automóvel, a Tranquilidade, para o mesmo perfil traçado acima pode significar um prémio anual de quase 269 euros em Lisboa e de cerca de 190 euros para quem more na cidade serrana. Ou seja, pela mesma cobertura, um guardense paga menos 79 euros do que um habitante em Lisboa, diferença que é mais elevada noutros locais. Quem vive em zonas como Coruche, Castelo de Vide, Alandroal ou Borba, consegue um prémio que fica 118 euros abaixo do prémio anual pago em Lisboa num seguro automóvel da Fidelidade Mundial e Império Bonança de cobertura mínima (Liber 3G e AU-TO-IB XS).

Se o local que escolheu para viver pode determinar o seu seguro automóvel, a profissão que exerce serve também para poder abater a factura. Se é professor ou quadro superior consegue ter o prémio mais baixo num seguro como o Desconline da OK!Teleseguros. Ser vendedor ou operário da construção civil significa ter prémios anuais mais elevados. Para um professor a factura anual do seguro, como o Desconline, para o mesmo perfil e automóvel acima enunciados com cobertura de terceiros, ficará nos 150,81 euros, enquanto que para um vendedor, o prémio sobe para os 198,57 euros.