Expresso

Siga-nos

Perfil

Perfil

Família

10 dicas para o sucesso escolar do seu filho

  • 333

Se acredita que o sucesso escolar é meio caminho andado para que o seu filho tenha um futuro profissional mais risonho, eis uma dezena de conselhos do Instituto da Inteligência para o colocar na melhor direção. Clique para visitar o canal Dinheiro

Joaquim Madrinha (www.expresso.pt)

Apesar do desemprego estar em alta, os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE) são claros: os trabalhadores licenciados ganham menos que no final da década de 90, mas são os menos afetados pelo desemprego. Ou seja, nos tempos que correm e, sobretudo, no futuro, será indispensável ter qualificações para ter acesso ao emprego.

Para as crianças, não é fácil perceber a importância da escola no seu futuro. O presente e a brincadeira serão sempre mais importantes, mas com a ajuda dos pais é possível juntar o útil ao agradável. Eis alguns conselhos do Instituto da Inteligência para o sucesso escolar do seu filho e, claro, para o seu futuro profissional.

Os 4Ps

Os 4Ps significam os "especialistas" que podem ser determinantes para o sucesso escolar do seu filho: os pais (a família) cujo papel assume particular relevância na criação de condições para o bom aproveitamento escolar; os professores pela sua intervenção como agentes de ensino e alargamento dos horizontes dos alunos; os pediatras porque podem aconselhar na promoção e proteção da saúde dos nossos filhos; e, finalmente, os psicólogos cuja ação pode ser decisiva para combater medos, ansiedades e outras formas de bloqueio a uma boa aprendizagem.

Palavra de ordem: motivação!

O cérebro funciona muito melhor quando gostamos daquilo que fazemos! O mesmo acontece nas aprendizagens: a atenção, a compreensão, o raciocínio e a memória são estimuladas pelas emoções positivas. É importante que o seu filho, seja qual for a sua idade, sinta prazer em andar na escola e ali aprender novas matérias, habilidades e competências. O ensino não deve imposto como uma obrigação mas como um direito, uma conquista do progresso da humanidade. Esta perspetiva opera, por vezes, verdadeiros milagres na atitude das crianças em relação ao papel da escola!  

Mantenha o seu filho saudável!

Aprender bem e com prazer é mais fácil quando os nossos filhos estão de boa saúde. Todos os estados, orgânicos e psicológicos, que contribuam para a sensação de bem-estar aumentam em 50% a capacidade de aprender e a aquisição de novas habilidades como ler, escrever, calcular, etc. Aconselhe-se com o pediatra e tome medidas para que a retaguarda da vida de seu filho esteja protegida. Tenha especial atenção a doenças crónicas (asma, etc.), eventuais problemas cardiovasculares (50% das nossas crianças correm algum tipo de risco nesta matéria!) e hiperatividade. Mantenha as vacinas em dia e o controlo do stress (um dos grande inimigos da saúde é o stress e muitas crianças são alvo de problemas orgânicos devido a esse fator).  

Não descure na alimentação!

O cérebro consome 20 a 25% da energia fornecida pelos nutrientes que nos chegam através da alimentação. Isto significa que uma dieta saudável e equilibrada, baseada em refeições com menos sal, menos açúcar e menos gorduras saturadas, é indispensável para um cérebro que vai precisar de muito esforço. Na alimentação - que inclui a repartição equilibrada das horas de comer - reside mais de 30% dos fatores que auxiliam nas novas aprendizagens e na retenção das antigas.  

O sono trabalha para a memória!

Hoje sabe-se que uma boa noite de sono (de 8 a 10 horas) é condição indispensável para a fixação de novas memórias (novas aprendizagens). Noites mal dormidas reduzem drasticamente a capacidade de concentração e, como consequência, os nossos filhos sentem-se fatigados nas aulas, desatentos e desinteressados. Seja firme na fixação do horário para deitar.  

Gerir o tempo de estudo!

As crianças passam cada vez mais tempo na escola e as aulas são longas, para além dos "trabalhos de casa" e outras atividades que vão aumentando em número e variedade à medida que o percurso escolar avança. Há crianças que não aprendem a ser organizadas e estudam sob stress provocado pela confusão de manuais, cadernos e trabalhos que têm de gerir sozinhos. Em casa, devem estudar por períodos de 10 a 20 minutos, seguidos de intervalos de 5 a 10 minutos para que o cérebro tenha tempo de assimilar toda a nova informação. Muitas das dificuldades de aprendizagem residem simplesmente na falta de organização.  

Controlar a ansiedade!

Estes são 2 perigosos inimigos de quem está envolvido em aprender e ser sujeito regularmente a avaliações. O stress e a ansiedade podem paralisar completamente a capacidade de aprender e sobretudo de recordar conhecimentos já adquiridos. Ensine o seu filho a gerir o stress através da respiração, da meditação e de algum exercício físico que promova o relaxamento. Pode inscrevê-lo num centro de ioga para crianças, num grupo coral, num escola de teatro ou de dança. Peça também ajuda a um psicólogo se sentir que lhe pode ser útil (tenha em agenda o nome e os contactos de um psicólogo de referência tal como o faz com o pediatra).  

Incentive mais o trabalho do que o talento!

Estudos recentes sugerem que a inteligência e o talento não constituem as chaves do sucesso na vida e também na escola. Na maioria dos casos de gente famosa em várias áreas de atividade verifica-se que é o trabalho árduo, a dedicação apaixonada e a chamada "aplicação deliberada" que conduzem ao êxito mais do que uma mente sobredotada, onde a inteligência e o talento se destacam. Assim, procure incutir no seu filho hábitos de trabalho e aplicação nos estudos, mais do que confiar na sua eventual mente brilhante e talentosa.  

Não ignore a escola

Existe, muitas vezes, um grande divórcio entre os pais e os professores. Ora é necessário que os pais sigam atentamente a evolução académica e comportamental dos filhos na escola, o que obriga a que não faltem às reuniões regulares que os professores agendam. Se possível, faça parte também da Associação de Pais existente na escola e seja interventivo. O seu filho sentir-se-á mais apoiado se perceber que os pais estão "com ele" na escola e que estão ali para o ajudar e não para o "controlar" ou censurar. 

Consulte o psicólogo

Mesmo que tudo pareça estar bem com o seu filho marque, pelo menos uma vez por ano,  uma consulta com um especialista em psicologia para que este possa fazer uma avaliação geral e forneça-lhe um diagnóstico da saúde mental e emocional. Através dessa avaliação poderá descobrir aspetos interessantes e úteis para uma melhor compreensão do seu filho e receber dicas que ajudem à evolução da criança. Não é por acaso que os médicos pediatras sugerem, cada vez mais, uma avaliação psicológica geral às crianças mesmo que tudo pareça estar normal.