Siga-nos

Perfil

Economia

Contas

12 depósitos para prazos longos

Têm juros mais baixos que os melhores depósitos de prazos curtos, mas os "mealheiros" de prazos mais longos nos bancos a operar em Portugal fazem da garantia do capital a sua maior arma.

Nuno Alexandre Silva

Se os mercados financeiros continuam à procura de um rumo, os depósitos a prazo permitem aos aforradores saber com o que podem contar. No final de dois, três ou cinco anos, quem aplica hoje as suas poupanças sabe que, mesmo que os juros não sejam os mais desejados, pelo menos são garantidos. E, se alguma correr mal com a instituição financeira, o Fundo de Garantia de Depósitos que funciona junto do Banco de Portugal, garante as contas até os 100 mil euros por depositante.

Em 19 bancos a operar em Portugal, existem muitas soluções de poupança para prazos entre os dois e os cinco anos. Menos generosos do que alguns depósitos para novos clientes de curto prazo, a verdade é que a oferta dos bancos mistura depósitos com taxas crescentes para prazos mais longos, antecipando a subida dos juros, com alguns depósitos com taxas fixas por alguns anos.

A dois anos o banco na lista de privatizações do Governo, Banco Português de Negócios, tem a melhor oferta, 2,75% de taxa de juro anual bruta média (2,71% de TANB) enquanto a três anos é Finibanco e BPN apresentam as taxas de juro mais vantajosas nos seus depósitos. No prazo de cinco anos, o Banco de Investimento Global (3%) e o Santander Totta, com o seu Novo Depósito Crescente e juros na ordem dos 3,05% brutos por ano, levam vantagem.