Expresso

Siga-nos

Perfil

Perfil

Economia

Construtoras deverão crescer mais de 10% nos próximos dois anos

  • 333

A internacionalização do sector deverá potenciar um crescimento na casa dos dois dígitos até 2010, refere um estudo da ANEOP e da Deloitte.  

As empresas de construção e obras públicas prevêem crescer mais de 10% nos próximos dois anos, avança um estudo da ANEOP-Associação Nacional de Empreiteiros de Obras Públicas e da Deloitte.

"Mais de 75% das empresas portuguesas de construção e obras públicas considera que vai ter um crescimento superior a 10% nos próximos dois anos devido ao aumento do peso das receitas nos mercados externos", refere um comunicado-conjunto das duas consultoras.

A maioria das empresas pretende reforçar a sua presença nos mercados externos onde actua, sendo que "nenhuma delas pondera a possibilidade de abandoná-los", acrescenta o estudo.

África continua a ser o mercado preferencial das construtoras portuguesas, que têm nos países de língua oficial portuguesa (PALOP) - sobretudo Angola - o seu ponto estratégico para a internacionalização. Em segundo lugar, surge a América do Sul, com 60% das empresas inquiridas a considerarem-na um mercado muito atractivo.

Na Europa, quase metade das empresas (47%) elegem Espanha como destino de eleição, devido à proximidade geográfica e mercados que registem crescimentos acima da média nos últimos anos - como a Irlanda e alguns países do Leste.

O estudo 'O Poder da Construção em Portugal - Impactos em 2009 e 2010' frisa que entre 2000 a 2003, as receitas do sector com origem externa apresentaram um crescimento médio anual na ordem dos 8% e, entre 2004 e 2007, esse valor já se fixava nos 35%.