Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Comissão Europeia e BCE preveem crescimento inferior ao projetado pelo Governo

Ambas as instituições colocam reticências sobre o aumento do salário mínimo e perspetivam défice de 3,3%.

Concluída a primeira missão de monitorização após o final do programa de ajustamento em Portugal, a Comissão Europeia (CE) e o Banco Central Europeu (BCE) estão preocupados com o abrandamento do ritmo das reformas e consideram que "o crescimento económico em 2014 e 2015 deverá ser ligeiramente inferior às atuais projeções do Governo".

Começando por declarar que "as condições económicas e financeiras no país "registaram, regra geral, melhorias", o lado mau é descrito pelo facto de a recuperação económica estar a ser "limitada pelos elevados níveis de dívida no setor público e privado e por um ambiente externo cada vez mais fraco".

"O esforço para reduzir o défice estrutural orçamental subjacente diminuiu claramente, lê-se na declaração conjunta da CE e do BCE, que acrescentam que "o empenho nas reformas estruturais abrandou, registando-se um ritmo irregular de implementação nos vários setores".

Dada a importância de "aumentar a flexibilidade e a competitividade da economia portuguesa para sustentar a ainda débil recuperação económica", a direção apontada vai no sentido oposto. Ou seja, deve o Governo "manter um programa ambicioso de reformas para o futuro".

Ficam as projeções: "A missão prevê um défice orçamental nominal de 3,3% do PIB em 2015, com base, entre outros fatores, em hipóteses menos otimistas sobre o impacto orçamental da evolução macroeconómica e das medidas de consolidação". 



No que ao sector bancário se refere, "as condições de liquidez estão a melhorar", pode ler-se, confirmando a avaliação "a solvência do setor, não obstante a recente resolução do BES".



"A decisão de aumentar o salário mínimo poderá tornar ainda mais difícil a transição para o mercado de trabalho para os grupos mais vulneráveis", acrescentam a CE e o BCE.



A declaração termina lembrando que a próxima visita acontecerá na primavera de 2015.