Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Cimpor: Camargo Corrêa confiante no relacionamento entre accionistas

O presidente da Camargo Corrêa acredita na estabilização do relacionamento entre acionistas da Cimpor.

O presidente da Camargo Corrêa, José Édison, que desde hoje é também administrador da Cimpor, mostrou-se confiante na "estabilização de relacionamento" da nova estrutura acionista da cimenteira portuguesa, salientando que os efeitos são positivos.    José Edison disse, no final da Assembleia Geral (AG) da Cimpor, que a nova estrutura acionista representa "uma mudança significativa", mas acredita que "a estabilização do relacionamento entre acionistas vai ser conseguida".   "Isso é do maior interesse para a empresa", declarou aos jornalistas.   O novo administrador afirmou que a AG decorreu "sem surpresas" e adiantou que todos os pontos propostos para deliberação dos acionistas foram aprovados "por grande maioria".    Questionado sobre a possibilidade da Cimpor estagnar devido à presença de dois grupos brasileiros rivais no Conselho de Administração da empresa portuguesa, José Edison afirmou que não há motivos para que isso aconteça.  

Planos de expansão

Quanto à expansão da cimenteira vai aguardar que "a comissão executiva apresente os planos de crescimento".    A nova comissão executiva vai ser escolhida ainda hoje pelo conselho de administração da Cimpor.    A AG da Cimpor realizou-se esta manhã com 14 pontos na agenda, destacando-se a eleição dos novos órgãos sociais e a aprovação do nome de António Castro Guerra para presidente da conselho de administração da empresa.    A estrutura acionista da Cimpor alterou-se significativamente com a saída da construtora portuguesa Teixeira Duarte e a cimenteira francesa Lafarge e a entrada das cimenteiras brasileiras, Camargo Corrêa e Votorantim, depois de fracassar uma OPA (Oferta Pública de Aquisição) lançada pela também brasileira Companhia Siderúrgica Nacional (CSN).    Os novos titulares do conselho de administração, propostos pelos acionistas Votorantim Cimentos, Camargo Corrêa,Investifino, e Caixa Geral de Depósitos são: António José de Castro, Francisco José Queiroz de Barros de Lacerda, João José Belard da Fonseca Lopes Raimundo, José Édison Barros Franco, Albrecht Curt Reuter Domenech, José Neves Adelino,  Walter Schalka e Álvaro Luís Veloso.    Mantêm-se sete administradores que transitam do mandato anterior.      ***Este texto foi escrito ao abrigo do n ovo acordo ortográfico***

Clique para ler a Nota da Direcção do Expresso sobre o novo Acordo Ortográfico.