Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Bruxelas aprova em breve mecanismos de apoio à Grécia

Os mecanismos de apoio da União Europeia à Grécia devem ser aprovados "dentro de alguns dias", segundo fonte europeia.

Os termos do mecanismo de apoio da União Europeia à Grécia podem ser aprovados "dentro de alguns dias", numa altura em que o governo alemão garantiu estar preparado para desencadear o processo legislativo necessário para libertar os fundos de apoio.     A União Europeia, o Fundo Monetário Internacional (FMI) e o Banco Central Europeu (BCE) estão "a trabalhar no projeto de legislação que estabelece quer o apoio financeiro, quer as condições deste último", segundo informou hoje uma fonte europeia em Bruxelas, citada pela Bloomberg.     "Este tipo de trabalho demora, normalmente, duas ou três semanas, mas o processo é urgente, pelo que poderá resolver-se dentro de dias", disse a mesma fonte.      Hoje, a Grécia pediu oficialmente a ativação do apoio financeiro ao país, acordado entre os líderes europeus e o FMI em 45 mil milhões de euros, num teste à estabilidade do euro e da coesão politica europeia sem precedentes.

Custos da dívida "insustentáveis" 

O pedido de ajuda à União Europeia e ao FMI surge na sequência de um aumento dos custos da dívida que o primeiro ministro grego George Papandreou considerou estarem a níveis insustentáveis e que prejudicam os esforços do país em reduzir o défice orçamental, que é mais de quatro vezes superior ao permitido no Pacto de Estabilidade e Crescimento.     Com uma dívida pública de quase 300 mil milhões de euros e os juros da dívida a superarem países como as Filipinas, a Grécia enfrenta uma situação orçamental muito complicada que se ameaça espalhar a Portugal e Espanha, forçando a União Europeia a avançar para um apoio financeiro.   O pedido oficial de ajuda surge depois de os juros da dívida a dois anos superarem os 11%, próximo do nível do Paquistão, com 12,2, e de a agência de notação financeira Moody's ter cortado o 'rating' da dívida grega, e alertando que está a considerar novos cortes.     Depois do anúncio do primeiro ministro grego, os juros dos títulos de dívida com maturidade a dois anos desceram 82 pontos base para 9,48%, enquanto o euro quebrou uma série de seis dias de quedas e passou a subir 0,1%, para 1,3309 dólares.     *** Este texto foi escrito ao abrigo do Novo Acordo Ortográfico ***

Clique para ler a Nota da Direcção do Expresso sobre o novo Acordo Ortográfico.