Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

BPI de novo em queda na Bolsa. BCP e PT recuperam

Só o BPI está a descer na Bolsa portuguesa (-4,4%), que recupera em linha com a Europa.

A Bolsa de Lisboa está esta quinta-feira a recuperar (+1,7%) das recentes quedas, com PT, BCP e Mota-Engil em alta. O BPI volta a ser castigado pelos investidores, depois de na véspera ter registado muma desvalorização histórica de 13,5%.

O banco anunciou que é candidato à compra do Novo Banco mas foi a notícia de que o seu rácio de capital sofrerá com a adaptação das regras europeias aos ativos da sua filial angola que fez a cotação tombar. A CMVM proibiu as vendas a descoberta das ações do BPI.

O PSI20 abriu a subir 2%, mas rapidamente suavizou o ímpeto, depois de na quarta-feira ter fechado com uma perda ligeira, penalizado peo sector da banca. As bolsas europeias estão a negociar em alta, acima dos 1,5%.

Das 18 cotadas do PS20 apenas a BPI está a descer (-4,4%). Já o BCP sobe (4,8%), formando com a PT (5,6%) e a Mota-Engil (4,5%) o trio que lidera os ganhos na bolsa portuguesa.  Até ontem, o BPI era das raras cotadas que apresentava um desempenho anual positivo (3%), mas a evolução recente  destruiu a tendência.

 

FED impulsiona

A Bolsa de Tóquio encerrou hoje em alta, depois de as Bolsas dos Estados Unidos terem registado as maiores subidas desde Outubro de 2013, animadas pela Reserva Federal norte-americana.

Na quarta feira, a presidente da Fed, Janet Yellen, garantiu que a instituição será "paciente" em relação ao timing da subida dos juros. 

A FED acredita que "pode ser paciente quanto ao início da normalização da política monetária", revela o comunicado.

A Fed salienta que esta atitude é compatível com a ideia "de que as taxas de juro devem continuar baixas "por um período de tempo considerável. Mas, "se a informação recebida indicar um progresso mais rápido em direção aos objectivos de emprego e inflação, as subidas das taxas de juro deverão ocorrer mais cedo do que previsto atualmente", refere o comunicado.