Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Bolsa de Lisboa fecha em forte recuperação

Depois de dias de fortes quebras, as 20 empresas incluídas no PSI-20 fecharam todas a subir levando o índice a fechar a sessão com uma subida de 4,59%.

Pedro Lima

Pedro Lima

Editor-adjunto

A Bolsa portuguesa fechou em forte alta, com o índice PSI-20 a avançar 4,59% para 7.339,20 pontos, a maior subida desde o início de Novembro de 2008. 

Todas as empresas incluídas no índice fecharam com ganhos.

Entre as maiores subidas destacam-se os bancos, com o BPI a ganhar 12,53%, o BCP 6,08% e o BES 8,79%.

Também as acções das empresas do grupo Sonae fecharam com subidas muito significativas: a Sonaecom com mais 7,56%, a Sonae SGPS com 8,15% e a Sonae Indústria com 10,13%.

A divulgação de resultados positivos de algumas grandes empresas internacionais e as perspectivas positivas para a economia americana são os factores apontados para justificar o desempenho dos mercados na sessão de hoje.

Na sessão de hoje, destaque também para a Mota-Engil, que aumentou 5,60% para 2,66 euros, no dia em que foi divulgado que vai mesmo avançar a concessão da auto-estrada do Pinhal Interior no valor 1200 milhões de euros, atribuída por concurso ao consórcio liderado pelo grupo de António Mota.  

 

Depois de ter iniciado a sessão a ganhar cerca de 1%, a praça foi valorizando progressivamente graças à aparente estabilização de problemas na zona euro, depois da garantia dada hoje pelo comissário europeu para os Assuntos Económicos e Monetários, Olli Rehn, de que as negociações em torno das condições de ajuda financeira à Grécia, que envolvem União Europeia e o Fundo Monetário Internacional, "serão concluídas nos próximos dias".  



A sessão hoje foi pautada por uma razoável liquidez, tendo trocado de mãos 139 milhões de ações, no valor de 281 milhões de euros.