Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

BES falha prazo para apresentação de contas anuais

  • 333

Banco "mau" invoca a "complexidade" associada à contabilização de ativos e passivos após a intervenção do Banco de Portugal.

Miguel Prado

Miguel Prado

Jornalista

O Banco Espírito Santo (BES), instituição cujos ativos não migraram para o Novo Banco, adiou a apresentação dos seus resultados de 2014, que deveriam ter sido publicados até esta quinta-feira, informou o banco em comunicado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).    

O BES indica no seu comunicado que "não estão reunidas as condições necessárias para que o relatório de gestão, as contas anuais, a certificação legal de contas e demais documentos de prestação de contas referentes ao exercício de 2014 possam ser divulgados ao mercado dentro do prazo". O Código dos Valores Mobiliários estipula que os emitentes de valores mobiliários devem enviar as suas contas anuais à CMVM durante os quatro meses seguintes ao fecho do exercício. O banco não avança qualquer nova data para apresentar ao mercado as contas anuais.    

O BES, que manteve os ativos de risco quando da resolução do Banco de Portugal em agosto do ano passado (tendo os ativos saudáveis passado para o Novo Banco), nota que as contas de 2014 "têm necessariamente de refletir o impacto da medida de resolução aplicada ao BES no dia 3 de agosto de 2014", o que, para já, não é possível.    

"Para que as contas possam representar uma expressão fiel e verdadeira da situação financeira do BES, na sua elaboração tiveram e têm de ser tidos em consideração todas as deliberações e determinações do Banco de Portugal adotadas em agosto de 2014, mas também as subsequentes deliberações de ajustamento e outros esclarecimentos necessários para determinar de forma rigorosa e completa o perímetro dos ativos, passivos, elementos extrapatrimoniais e ativos sob gestão que permaneceram no BES após a aplicação da medida de resolução", lê-se no comunicado à CMVM.    

O BES garante que tem envidado esforços para aprovar atempadamente as contas anuais, mas tal não foi possível. "Face à complexidade e excecionalidade da medida aplicada ao BES, os trabalhos de validação da conformidade das contas com os termos da medida de resolução não estão ainda terminados, encontrando-se um curso um processo de articulação com o Banco de Portugal tendo em vista a sua conclusão", refere o BES.    

Assim, diz ainda o comunicado, "o BES não está em condições de antecipar com um grau de segurança fiável a data em que serão divulgados os documentos de prestação de contas relativos ao exercício de 2014, sendo certo que tudo será feito para que tal ocorra no mais breve prazo possível".