Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Banco de Portugal mantém crescimento para 2014 e 2015 mas desce para 2016

Quanto ao emprego, é apresentado um cenário de recuperação em 2015 e 2016 mais moderado do que o registado este ano.

O Banco de Portugal (BdP) manteve, no boletim económico de inverno, a previsão de crescimento económico de 0,9% para este ano e de 1,5% em 2015, sem alterações face às últimas estimativas. Mas reviu em baixa a previsão para 2016, que no verão era de 1,7% e passa agora a 1,6%.

De acordo com o BdP, estas projeções para a economia portuguesa em 2014-2016 "refletem a continuação do processo de ajustamento gradual dos desequilíbrios macroeconómicos, num quadro de crescimento moderado da atividade e do nível de preços e de redução do endividamento externo". 

Os números são modestos mas, mesmo assim, o BdP destaca que, a confirmarem-se as atuais projeções, Portugal deverá registar um "crescimento médio em 2014-2016 ligeiramente superior ao projetado para a área do euro".

O BdP diz ainda que depois da evolução do PIB em 2014 ter sido marcada por uma "recuperação da procura interna e por uma desaceleração das exportações, a qual refletiu parcialmente fenómenos de natureza temporária", para 2015 e 2016 "prevê-se uma relativa estabilização do crescimento da procura interna (excluindo variação de existências) e uma progressiva aceleração das exportações".

Quanto ao emprego, o BdP apresenta um cenário de recuperação mais moderada do que o registado este ano. "Após apresentar uma recuperação superior à da atividade em 2014, o emprego deverá evoluir, ao longo do restante horizonte de projeção, globalmente em linha com a sua relação histórica com o PIB", acrescenta.

A instituição refere também que "no período 2014-2016 deverá registar-se um ligeiro aumento da capacidade de financiamento da economia, medida pelo saldo conjunto das balanças corrente e de capital". Uma evolução que "deverá beneficiar de um progressivo aumento do saldo da balança de bens e serviços em percentagem do PIB a partir do final de 2014, resultante em larga medida de um efeito de volume, a par de ganhos de termos de troca em 2014 e 2015".

Por fim, em relação à inflação, o BdP projeta "um aumento limitado em 2015-2016, num contexto em que as pressões sobre os preços, quer internas quer externas, deverão manter-se contidas". A previsão para 2015 é de 0,7% o que compara com os 0,1% negativos estimados para este ano. Em 2016 a inflação deverá subir ligeiramente para 1%.