Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Banca: França, Espanha e Itália prolongam proibição de vendas curtas

A notícia é avançada pela agência espanhola 'Efe'.

Os reguladores bolsistas de França, Espanha e Itália anunciaram hoje que vão prolongar a proibição de vendas curtas (shortselling), noticia a agência espanhola 'Efe'.

Em França e Itália a proibição de vendas curtas na banca vai manter-se até 11 de novembro, com os reguladores a considerarem que, atualmente, não estão reunidas as condições para levantá-la.

Já em Espanha, o regulador anunciou que vai prorrogar 'sine die' a proibição das vendas curtas devido à "situação atual de contínua instabilidade nos mercados europeus e, em particular, nos títulos financeiros".

O regulador da bolsa espanhola disse que a proibição, adotada inicialmente a 11 de agosto, vai manter-se "até que as condições dos mercados permitam o seu levantamento".

As vendas curtas consistem na alienação de um ativo que foi tomado de empréstimo com o objetivo de o recomprar mais tarde, por um preço mais baixo do que o da venda.

Em Portugal, as vendas curtas são proibidas pelo regulador, a Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).