Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Amorim Turismo entra em Angola com 10 hotéis

Em parceria com os angolanos da Imogestin, serão investidos 90 milhões de euros nos próximos quatro anos. A prazo, o objectivo é "espalhar hotéis por Angola toda", revela Jorge Armindo, presidente da Amorim Turismo.

Conceição Antunes (www.expresso.pt)

Angola era há muito a meta perseguida pela Amorim Turismo como primeiro passo da sua internacionalização. Jorge Armindo, presidente da Amorim Turismo, que há um ano anunciava o objectivo de lançar 10 hotéis em Angola, já encontrou o parceiro local para o projecto: a Imogestin, empresa do Banco Africano de Investimentos (BAI), banco onde a Sonangol é accionista.

"A meta dos 10 hotéis em Angola não é ambiciosa, é para cumprir em quatro a cinco anos. Nesta primeira fase podemos falar de 1000 quartos e investimentos à volta de ¤80 milhões a ¤90 milhões", adianta Jorge Armindo. "É uma operação que se vai auto-financiar em dois anos. Angola é um mercado de oportunidades e, tirando Luanda, há uma enorme carência de hotéis". Para o responsável da Amorim Turismo, o objectivo a longo prazo da parceria com a Imogestin é "espalhar hotéis por Angola toda".

Três inaugurações em 2010

Até ao final de 2010, Jorge Armindo conta ter já três hotéis concluídos no âmbito desta parceria, para a qual passam os projectos que a Imogestin tinha em mãos: o Hotel Terminus no Lobito (próvíncia de Benguela), que já está concluído, um outro de 101 quartos que está a ser construído mesmo ao lado, além do futuro hotel de quatro estrelas que está em obra na cidade de Ndalatando (província de Kwanza Norte).

"Adquirimos ainda três terrenos, onde já começaram a ser construídos hotéis", avança Jorge Armindo, referindo que estes terrenos se localizam em Malange, Huambo e Soyo, no último caso "junto às petrolíferas e perto de Cabinda. Estamos a falar de hotéis de cidade, de quatro estrelas, que dificilmente passarão os 100 quartos. Mas com a arquitectura que pretendemos utilizar, podem-se ir expandindo com o tempo".

Rede de hotéis de estrada

Desenvolver uma rede de hotéis de estrada também está na mira da parceria entre a Amorim Turismo e a Imogestin. "Estes já serão hotéis mais económicos, de duas estrelas, mas com uma rentabilidade muito atractiva", refere Jorge Armindo. "Têm que funcionar como o Ibis na A5, junto a postos de abastecimento. Mas primeiro teremos que esperar pelo projecto das novas estradas".

Além da rede de hotéis de cidade e de estrada, "também estaremos interessados em locais para hotéis de resort, faz parte dos objectivos desta parceria", afirma o presidente da Amorim Turismo. "E estivemos para ter um hotel em Luanda, só que o negócio não se concretizou. Mas poderemos vir a ter. A grande população de Angola está em Luanda, e cada vez mais a viajar para o país todo".

No âmbito da parceria em Angola entre a Amorim Turismo e a Imogestin, estão a ser constituídas duas sociedades, uma proprietária dos hotéis e outra para a respectiva exploração. "Na primeira seremos minoritários e na segunda vamos ter a maioria", revela Armindo, prevendo que este processo, "sempre um pouco moroso", possa ficar formalizado até Outubro. "Estamos na fase de acompanhar as obras e montar a equipa para a exploração dos hotéis".