Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

"Ainda hoje não tenho ideia se haveria investidores privados", diz Bento

Vítor Bento foi recebido em São Bento pelo presidente da comissão parlamentar de inquérito ao caso BES, Fernando Negrão

Luís Barra

Questionado pela deputada Cecília Meireles, do CDS, sobre uma eventual capitalização privada, Vítor Bento explicou não saber se havia investidores privados interessados em reforçar o capital do BES. Afirmação que contraria o que havia sido dito pelo governador do Banco de Portugal.

Em declarações aos deputados da comissão parlamentar de inquérito ao caso BES, Vítor Bento, que sucedeu na presidência do banco a Ricardo Salgado, durante dois meses, afastou-se da ideia deixada pelo governador do Banco de Portugal em meados de julho, quando afirmava publicamente que se fosse necessário injetar dinheiro no BES haveria investidores interessados. 

Vítor Bento disse mesmo: "Ainda hoje não tenho ideia se haveria investidores privados" interessados em entrar no capital do BES. "Havia duas grandes incertezas, o caso Angola e o que resultaria da avaliação dos ativos por parte do BCE" .  

Provavelmente também "não haveria tempo", disse. E logo adiantou ainda que "no dia 1 de agosto, quando nos foi comunicada a medida de resolução, pensámos que seria uma espécie de capitalização pública".

No dia seguinte, prosseguiu, "os advogados do banco informaram-nos que a medida não era o que pensávamos". Nessa altura, disse, "não dispúnhamos de tempo para capitalizar ou reestruturação o BES ". E frisou: "Não tomei parte da decisão, nem fui ouvido".