Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

A economia portuguesa disponível em chinês

  • 333

O portal Portugal Economy Probe está disponível em chinês. O objetivo é aumentar a visibilidade de Portugal na China e fortalecer os laços económicos entre os dois países.

Constança Lameiras

O Portugal Economy Probe disponibiliza, a partir de hoje, informação atualizada sobre a economia portuguesa e o seu sistema financeiro em chinês. A informação, baseada em estatísticas e análises provenientes de diferentes fontes de informação, estava, até à data, apenas disponível em português e inglês. Miguel Athayde Marques, coordenador do PE Probe, acredita que "este inovador canal de distribuição de informação sobre Portugal contribuirá para o fortalecimento dos laços económicos e comerciais entre o espaço lusófono e a República Popular da China e poderá alavancar o fluxo comercial existente entre os dois países, ao aumentar a visibilidade de Portugal nesta geografia". A apresentação desta versão decorreu no Museu do Oriente e contou com um painel de oradores que debateu a questão do investimento chinês em Portugal, tais como Choi Man Hin, presidente da Comissão Executiva do Estoril-Sol, Eduardo Catroga, presidente do Conselho Geral e de Supervisão da EDP, Jorge Magalhães Correia, presidente da Comissão Executiva da Fidelidade, Luís Sáragga Leal, sócio fundador da PLMJ e Rodrigo Costa, presidente da Comissão Executiva da REN. Eduardo Catroga abordou a questão da multipolaridade, "especialmente marcada pela emergência da China como player a nível global, em consequência das suas reformas económicas ao longo de três ou quatro décadas e do aparecimento da Ásia como um novo ciclo estratégico da economia mundial". Jorge Magalhães Correia, partilhou a sua experiência na Fidelidade, afirmando que a equipa de gestão da seguradora foi acolhida pela Fosun de forma "excecional e amigável", considerando que a empresa chinesa trouxe "fundamentalmente um grande aumento das expectativas", acrescentando ainda que portugueses e chineses trabalham com diferentes noções de tempos e escala. Também o Vice-Primeiro-Ministro, Paulo Portas, marcou presença nesta sessão de apresentação, referindo-se à China como "um ator internacional, no plano político e económico inultrapassável", acrescentando que Portugal é um "dos poucos países europeus com quem a China tem há vários anos uma parceria estratégica". Paulo Portas recordou ainda o período "particularmente difícil" em que a China e as empresas chinesas investiram em Portugal, considerando esta tradução do portal para chinês como "um sinal dos tempos" e da aproximação entre os dois países.