Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

FMI analisa sustentabilidade da dívida grega no final de julho

Fundo Monetário Internacional anunciou esta sexta-feira que vai discutir a 27 de julho o relatório sobre a dívida grega. Fundo de resgate do Luxemburgo aprovou última tranche de €15 mil milhões para Atenas mas só a envia depois do governo de Tsipras resolver questão levantada pela Alemanha sobre o IVA das ilhas do Mar Egeu

Jorge Nascimento Rodrigues

A análise de sustentabilidade da dívida grega mais esperada pelos investidores e pelos credores oficiais vai ser discutida a 27 de julho pelo Fundo Monetário Internacional (FMI).

O Fundo anunciou esta sexta-feira que a organização liderada por Christine Lagarde vai analisar o relatório elaborado pelos seus técnicos sobre a situação da economia grega no âmbito do Artigo IV do FMI que permite análises regulares da situação dos países membros.

As conclusões que forem apresentadas pelo FMI serão cruciais para validar ou não a estratégia de médio prazo de ‘alivio’ da dívida helénica aprovada pelo Eurogrupo em junho e darão, também, uma ideia das divergências sobre o longo prazo que continuam a separar a organização de Washington e os credores europeus da dívida grega.

Esta sexta-feira no Luxemburgo, o Mecanismo Europeu de Estabilidade, que gere os fundos de resgate anunciou que aprovou o desembolso da última tranche do empréstimo à Grécia. Este último desembolso soma €15 mil milhões e superou todas as previsões otimistas para o seu montante. O Eurogrupo em junho acabou por aprovar este montante elevado no sentido de apoiar a criação de uma almofada financeira para quase dois anos após o fim do resgate em agosto.

No entanto, o desembolso, destes €15 mil milhões ainda antes do fim do programa em agosto, está pendente da conclusão de “um procedimento nacional” em Atenas. O “procedimento” de última hora diz respeito ao ministro das Finanças Euclid Tsakalotos encontrar medidas alternativas que compensem €28 milhões de perdas fiscais devido ao prolongamento do IVSA reduzido para as ilhas do Mar Egeu, uma questão levantada pela Alemanha.