Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Imobiliária espanhola constrói 100 casas em Lagos

As 100 casas serão no Palmares Resort, mesmo junto à Meia Praia, em Lagos. Os valores de investimento e mais pormenores sobre este projeto serão divulgados em setembro

Getty

É a primeira fase do primeiro projeto da Kronos Homes em Portugal

Ana Baptista

Ana Baptista

Jornalista

A Kronos Homes, uma promotora imobiliária espanhola que acaba de iniciar a sua atividade em Portugal, vai construir 100 casas para segunda habitação em Lagos, no Algarve. Esta será a primeira fase do primeiro empreendimento que a empresa vai desenvolver no país e que no total conta com 400 unidades.

Chama-se Palmares Resort e foi comprado ao grupo Onyria, que manteve uma pequena participação. Ou seja, trata-se de um projeto já existente que estava parado e que é agora retomado. Esta foi, aliás, a estratégia de entrada da Kronos Homes em Portugal onde já investiu €200 milhões: adquirir ativos já existentes com projetos parados e terrenos livres para poderem desenvolver com aquilo a que chamam de “conceito único de arquitetura”.

Além do Palmares, comprou ao grupo Oceânico mais três projetos em empreendimentos já existentes e que agora vai desenvolver e/ou fazer a operação turística.

Um deles é o Amendoeira Resort, onde a Kronos comprou 205 das 240 casas que já estavam construídas, que vão agora vender, mas onde vai também desenvolver uma segunda e terceira fase de construção de casas e ainda de dois hotéis. O outro chama-se Belmar e aqui a Kronos comprou “50 das 180 unidades já concluídas e vai reposicioná-las e fazer a operação”, explica ao Expresso o responsável da Kronos em Portugal, Rui Meneses Ferreira. Por fim, o terceiro projeto comprado fica na Praia da Luz e neste momento é apenas terreno virgem para onde estão já aprovadas 100 casas também para segunda habitação.

“Estamos focados em comprar terrenos para desenvolver e não em fazer reabilitação de prédios já existentes”, diz o fundador e sócio gerente da Kronos, Said Hejal, que esteve na apresentação da empresa esta quarta-feira em Lisboa.

Foi, aliás, por isso mesmo que começaram pelo Algarve. “Foi onde encontrámos o terreno ideal”, conta o mesmo responsável. Mas o objetivo da Kronos está muito longe de ser apenas o sul do país

“Há três regiões que nos interessam: Lisboa, Porto e Algarve. Só que em Lisboa está a levar mais tempo do que pensámos, mas também porque somos muito exigentes”, repara Said Hejal. De facto, nestas duas regiões já não é só a localização que está em causa, mas também a dimensão. “Em Lisboa e no Porto queremos fazer primeira habitação e queremos focar-nos no mercado local e fazer casas para os portugueses, com preços entre os €250 mil e os €450 mil, ou seja, menos de 50 unidades não faz sentido”, repara Rui Meneses Ferreira. O centro histórico está, por isso, fora de questão. O foco são as Avenidas Novas, o Parque das Nações, o Lumiar ou Telheiras, mas também Oeiras e Cascais, revela ao Expresso o responsável em Portugal.

Para a compra dos terrenos em Lisboa e no Porto, a Kronos tem, nesta fase de arranque da atividade em Portugal, €100 milhões. Ou seja, no total, a empresa vai investir €300 milhões só na compra de ativos, ao que acresce depois o investimento propriamente dito na construção.

Em Espanha, em apenas três anos de existência, a Kronos já investiu mais de €1000 milhões em 16 projetos com mais de 1500 casas.