Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Sonaecom acumula imparidades de 36,5 milhões

A Sonaecom dá como perdido 40% do capital aplicado nas suas associadas por causa do “Público”. Em 2018, as perdas subiram 1,5 milhões de euros

A Sonaecom, subsidiária da Sonae que detém a área das telecomunicações, tecnologia e media, reconhece perdas por imparidade de 36,5 milhões de euros, justificadas essencialmente pelo investimento realizado no diário “Público”.

Em 2018, a rubrica conheceu um aumento de 1,5 milhões, ditado por perdas financeiras na empresa jornalística.

Investimento de 93,3 milhões

Segundo as contas da empresa, a Sonaecom investiu em sociedades do seu universo 93,3 milhões de euros - a maior fatia (52 milhões) cabe à Sonae Investment Management Software and Technology (Sonae IM) que domina um portefólio 15 tecnológicas, entre as quais se destaca a WeDo Technologies.

A área de media (Público, SA e PCJ-Público Comunicação e Jornalismo) absorveu um investimento de 39 milhões. Cada uma das empresas beneficiou em 2017 de um aumento de capital de dois milhões para cobertura de prejuízos. Na lista de participadas surge ainda a Sonaecom - Serviços Partilhados, com um investimento irrelevante de 2,5 milhões.

Mas, do capital aplicado nas participadas, a Sonaecom dá como perdido perto de 40 por cento - 36,5 milhões.

A holding não desagrega o valor pelos vários segmentos de negócio. No entanto, tendo em conta o desempenho operacional positivo da Sonae IMI não é difícil de concluir que a principal fonte das atuais perdas resultam das sociedades de media. As perdas acumuladas em ativos não correntes são de 9 milhões.

No relatório do primeiro trimestre, a Sonaecom refere que as receitas do negócio de media subiu 3,4%, impulsionado "pelo desempenho positivo das receitas publicitárias online". A exploração operacional (EBITDA), apesar de deficitária, melhorou 12% face ao trimestre homólogo de 2017. Estes resultados são melhores do que os 2017. Nesse exercício, a receita crescera 0,3%, apesar da evolução positiva das subscrições e publicidade online. O resultado operacional melhorara 11% face ao ano anterior.