Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Pequim ou Xangai: uma destas cidades pode tornar-se na próxima Silicon Valley

O gigante de comércio eletrónico JD.com é um dos unicórnios de Pequim que está a 'animar' a China

Entre 2012 e 2017, nasceram 46 startups chinesas que atualmente estão avaliadas em mais de mil milhões de dólares e representam cerca de 80% dos unicórnios asiáticos. Pequim e, em menor escala, Xangai aproximam-se dos níveis de investimento da 'Meca da tecnologia'

Cerca de 80% das startups asiáticas criadas entre 2012 e 2017 avaliadas em pelo menos mil milhões de dólares estão sediadas na China, conclui um estudo da CB Insights. Nesse período, Pequim é responsável pelo nascimento de 29 unicórnios e Xangai de 7 - entre os quais a empresa de transporte privado DiDi, a empresa de produtos eletrónicos Xiaomi ou a plataforma de pagamentos peer-to-peer (pessoa a pessoa) Lu.com.

No primeiro trimestre deste ano, as duas cidades chinesas criaram, juntas, três novos unicórnios, o mesmo número que Silicon Valley. Pequim e, em menor escala, Xangai podem vir a tornar-se nos pólos de empreendedorismo do futuro: as duas cidades foram as que mais aumentaram nesse período o número de unicórnios, de grandes rondas de financiamento e a valorização das empresas aquando o momento de entrada em bolsa.

Embora Silicon Valley, que criou 57 startups nesse período e fechou 12 mil rondas de financiamento, continue a ser o maior pólo de empreendedorismo a nível mundial, cidades como Pequim e Xangai estão a ganhar terreno e a aproximar-se dos níveis de investimento da 'Meca da tecnologia'.

Apesar de ter fechado um maior número rondas de investimento, Silicon Valley tem registado um abrandamento no número de rondas fechadas nesses cinco anos face às duas cidades chinesas, que veem os acordos para financiamento a aumentar. Ainda assim, desde 2012, as startups daquela região da Califórnia conseguiram arrecadar um total de 140 mil milhões de dólares, seguidas das de Beijing (72 mil milhões de dólares), Nova Iorque (36 mil milhões de dólares) e Shangai (23 mil milhões de dólares).

A corrida ao título de pólo mais empreendedor também se percorre em bolsa. Pequim registou mais de 30 Ofertas Públicas Iniciais (IPO's) desde 2012, com o gigante de comércio eletrónico JD.com a alcançar uma valorização de cerca de 26 mil milhões de dólares. Já Xangai conquistou cerca de 20 IPO's, numa valorização total de mais de 100 mil milhões de dólares.

Entre os motivos para este impulso empreendedor e inovador estão os esforços do Governo chinês. A China, que tem como meta tornar-se líder global em tecnologia até 2030, tem vindo a apostar em tecnologias inovadoras como a inteligência artificial e machine learning (algoritmos com capacidade de aprendizagem).