Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Segundo maior acionista da EDP Renováveis exige esclarecimentos sobre OPA chinesa

D.R.

A MFS, gestora de ativos norte-americana com 3,9% da EDP Renováveis, está preocupada com a incerteza que envolve as condições da oferta de aquisição que a China Three Gorges anunciou em maio

Miguel Prado

Miguel Prado

Jornalista

A MFS - Massachusetts Financial Services, gestora de ativos norte-americana que é atualmente o segundo maior acionista da EDP Renováveis, está preocupada com as condições da oferta pública de aquisição (OPA) lançada pela China Three Gorges e escreveu uma carta aberta à administração da EDP Renováveis para exigir esclarecimentos sobre a operação.

A MFS lembra que a OPA da China Three Gorges sobre a EDP Renováveis, a 7,33 euros por ação, foi anunciada no mesmo dia da OPA sobre a EDP (11 de maio), estando sujeita a um conjunto de condições sem as quais a operação não avança. E uma das condições para que a CTG avance com a oferta sobre a EDP Renováveis é que também avance a OPA sobre a casa-mãe.

“A MFS está preocupada porque estes pré-requisitos para o lançamento da oferta sobre a EDP Renováveis pode resultar numa incerteza prolongada em torno do calendário da oferta sobre a EDP Renováveis, que pode desencorajar o lançamento de potenciais ofertas concorrentes”, lê-se na carta que a gestora norte-americana enviou à administração da EDP Renováveis, e que foi divulgada esta segunda-feira pela própria MFS.

Nesse sentido, a MFS apela à administração da EDP Renováveis que procure “com caráter de urgência” clarificar se uma oferta concorrente sobre a EDP Renováveis pode ser registada e lançada antes do lançamento efetivo de uma OPA da CTG sobre a empresa.

A MFS é o segundo maior acionista da EDP Renováveis, com uma participação de 3,9%, posição que lhe dá o estatuto de liderança entre os minoritários. A EDP Renováveis é detida em 82,6% pela EDP.