Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Corrida pela compra da Fox: Disney subiu a parada e terá arrumado a Comcast

“Acreditamos firmemente que esta combinação com a Disney vai gerar ainda maiores dividendos para os acionistas”, já veio dizer Rupert Murdoch, presidente da 21st Century Fox

Foto Spencer Platt / Getty Images

A guerra pela aquisição da Fox parece ter chegado ao fim. A Disney aumentou o valor de aquisição proposto ao grupo de media de Rupert Murdoch e, aparentemente, terá deixado a Comcast sem capacidade para voltar a fazer qualquer oferta

Luís Proença

O leilão pela compra da Fox aparenta ter chegado ao fim com a última proposta de valor apresentada pela Disney. Neste “quem dá mais?” pela aquisição de grande parte dos ativos do grupo de media de Rupert Murdoch, a Disney cobriu a oferta da Comcast e aumentou a parada para um total de 61 mil milhões de euros (o equivalente a mais de um terço do PIB nacional). Este movimento pode muito bem ter sido o golpe final sobre as intenções da Comcast. A 21st Century Fox já veio anunciar que o lance da Disney é “superior”. A Comcast tinha-se apresentado a jogo com uma proposta ligeiramente acima dos 55,5 mil milhões de euros.

Perante a revisão em alta feita pela Disney, Rupert Murdoch, o presidente da 21st Century Fox veio pôr os pontos nos is: “Temos um grande orgulho no negócio que criámos na 21st Century Fox e acreditamos firmemente que esta combinação com a Disney vai gerar ainda maiores dividendos para os acionistas enquanto a nova Disney continua a marcar o ritmo numa altura muito dinâmica na nossa indústria”. A maioria dos analistas é consensual e interpreta as palavras de Murdoch como uma evidência de ‘negócio fechado’. Erich Reimer (ETF Investing) acrescenta, aliás, que o custo a que a operação chegou é demasiado alto para a Comcast prosseguir no concurso.

O acordo passa pela incorporação de uma longa lista de ativos da Fox na Disney

O acordo passa pela incorporação de uma longa lista de ativos da Fox na Disney

Foto Drew Angerer / Getty Images

Perante o mais que provável afastamento da Comcast, ainda que tenha de ter puxado mais pelos cordões à bolsa, Bob Iger, o presidente e CEO (“Chief Executive Officer”) da Walt Disney Company vem reforçar a sua posição, declarando que “a aquisição da 21st Century Fox vai gerar uma significativa valorização financeira aos acionistas das duas companhias e depois de seis meses de trabalho de planeamento com vista à integração, estamos ainda mais entusiasmados e confiantes na adequação estratégica dos ativos e talento da Fox”. O acordo passa pela incorporação de uma longa lista de ativos da Fox na Disney, nas quais se incluem as operações de produção de cinema e televisão com origem na 20th Century Fox Studios; os canais de subscrição da FX Networks; o ‘bouquet’ de canais do grupo Nat Geo; 22 cadeias regionais de canais desportivos; os canais internacionais Fox – incluindo a Star India; e a quota de 39% na Sky.

Assim que o casamento se concretizar, a Comcast perde o titulo de maior ‘holding’ de media e entretenimento do planeta, em receitas, alcançado com a compra da NBC Universal e da Dreamworks. Suceder-lhe-á a Disney, cerrando baterias para enfrentar os FAANG (Facebook, Apple, Amazon, Netflix e Google), os novos gigantes da era digital, e dando o salto para o campeonato mundial do streaming com a tão falada criação de uma ‘Disneyflix’.