Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Portugal aproxima-se dos níveis de bem-estar da Europa

Nuno Botelho

O consumo individual efetivo ‘per capita’ em Portugal ficou abaixo da média da União Europeia (83%), mas ainda assim representa o melhor desempenho desde 2010

Portugal teve, em 2017, um consumo individual efetivo ‘per capita’ abaixo da média da União Europeia (83%) ocupando o 16.º lugar de uma tabela que varia entre os 55% (Bulgária) e os 130% (Luxemburgo), divulgou esta terça-feira o Eurostat. Desde 2010, que este indicador não era tão elevado, o que mostra uma aproximação do bem-estar das famílias portuguesas à média europeia.

Segundo o gabinete de estatística da União Europeia (UE), Portugal está no grupo de 12 Estados-membros com um consumo efetivo individual (CEI) situado entre a média da UE e 25% abaixo desta, encabeçado pela Itália (98%) e que termina na Polónia e Eslováquia (76% cada).

Dez países apresentaram um CEI acima da média da UE, com o Luxemburgo à cabeça (130%) e outros tantos apresentaram consumos privados mais de 30% abaixo da média, estando a Bulgária no fim da lista (55%).

O CEI ‘per capita’ é um indicador do nível de bem-estar material das famílias e que quantifica os bens e serviços efetivamente consumidos pelos indivíduos, independentemente de esses bens e serviços serem adquiridos e pagos pelas famílias, pelo Estado, ou por instituições sem fins lucrativos.

No que respeita ao Produto Interno Bruto (PIB) ‘per capita’, Portugal teve, segundo a estimativa para 2017, uma prestação abaixo da média (77%), sendo o Luxemburgo o país mais rico da UE (253%) neste indicador e a Bulgária o mais pobre (49%).

O PIB ‘per capita’ é utilizado como indicador do nível de bem-estar do país.