Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

De tecnologia em tecnologia na rota da transformação

Remy Mandon, VP do Watson IOT Europe, falou no IBM Think sobre a Internet das Coisas

José Fernandes

As grandes questões tecnológicas da atualidade estiveram em destaque ao longo da manhã no IBM Think Lisboa, que contou com o apoio do Expresso

Blockchain, inteligência artificial, ou Internet das Coisas. Por vezes podem parecer coisas que ainda não têm um verdadeiro impacto na sociedade, quase mais teoria do que prática. E se é certo que ainda há um caminho longo a percorrer para que todas suas potencialidades sejam cumpridas, só há uma forma de olhar para eles: estão aqui para ficar.

Pelo menos a acreditar nas intervenções e demonstrações práticas do Think, a grande mostra anual da IBM. A edição de Portugal visitou Lisboa e o Convento do Beato para dar a conhecer o que de melhor se faz neste campo e as grandes tendências tecnológicas de um mundo que vive uma fase de "impacto exponencial", como afirmou o presidente da IBM Portugal, António Raposo Lima.

E é com tecnologia que se escreve o futuro da economia e da sociedade, desde a "prevenção de incêndios", de acordo com o administrador executivo da The Navigator Company, "João Paulo Oliveira, à "maior eletrificação da economia" que foi destacada por Vera Pinto Pereira, vogal do conselho de administração executivo da EDP.

Processo de digitalização que para o, vice-presidente da comissão executiva & CIO da Fidelidade, Rogério Campos Henriques, "altera radicalmente a estrutura de valor." Por isso torna-se quase obrigatório perceber qual a melhor forma "de colocar as empresas no futuro", nas palavras de Mike Hobday. O o VP da IBM Automation Europe falou sobre o local de trabalho do futuro para garantir que não será moldado por uma só tecnologia.

Mudanças que também se verificam "nos padrões de consumo e produção", segundo o responsável pela área de inovação da Galp, Carlos Martins de Andrade. Com a certeza de José Manuel Paraíso, (Diretor de Global Business Services da IBM Portugal) de que tal não implica o final "do contacto humano." Entre demonstrações da capacidade cognitiva de aprender do sistema inteligente Watson e os exemplos automatização dos processos, fica a garantia.