Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Crédito mais barato para habitação e mais caro para empresas em abril

As taxas de juro médias em novos financiamentos para compra de habitação caíram em abril. Nas empresas os juros subiram

As taxas de juro para o financiamento na compra de habitação caíram em abril. Nos novos créditos concedidos pela banca a taxa de juro média caiu três pontos base, para 1,46%, segundo dados do Banco de Portugal revelados nas notas de informação estatística relativa a abril. Na compra de casa foram emprestados 783 milhões de euros em abril, menos do que o concedido em março, mas superior ao emprestado em 2017.

O mesmo não se pode dizer do financiamento das taxas médias de juro concedidas ás empresas. Neste segmento não só caiu o volume de empréstimos (menos 1%) como as taxas subiram 14 pontos base para 2,55%. Uma subida que de acordo com os dados do Banco de Portugal, refletiu o "aumento das taxas de juro tanto no segmento das operações abaixo de 1 milhão (8 pontos base, para 2,88%), como nas operações acima de 1 milhão de euros (23 pontos base para 2,09%).

Já os depósitos de particulares nos bancos totalizavam 139,9 mil milhões no final de abril, representando uma taxa de variação anual de 1,5%. Um indicador que aumento 0,9 pontos percentuais face a março e "atingiu o valor mais elevado desde outubro de 2016" (perto dos 5%).

Na área euro a taxa de variação anual dos depósitos de particulares foi de 3,2% em abril, o que compara com 3,4% em março.

As novas operações de crédito a particulares na habitação, consumo e outros fins ascendeu a 783 milhões de euros, 370 milhões e 142 milhões, respetivamente. As taxas de juro médias ao consumo e outros fins caíram ligeiramente em abril para 7,31% e 3,71% face a março.