Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Bolsa. EDP abre a valorizar de novo. Ligeiramente.

A EDP volta a valorizar na sessão desta terça-feira. Sobe 0,6%. A Altri regista novo máximo.

Após a valorização de 9,3% de ontem que estilhaçou o valor da oferta pública de aquisição (OPA) lançada pelo consórcio chinês e acrescentou mais 1,1 mil milhões de euros à capitalização bolsista, a EDP segue esta terça a negociar nos 3,42 euros, uma valorização de 0,6% face ao fecho de ontem.

O intervalo acima dos 3,40 euros parece ser o novo patamar de negociação, enquanto novos fatores não interferirem na dinâmica do mercado.

O sinal é claro: ao preço oferecido pelo consórcio da China Three Gorges (CTG), a operação está condenada ao fracasso.

Esta terça-feira, a administração da EDP partilho com o mercado uma nota em que diz que o preço é baixo e não refelte adequadamente o valor da empresa.

Movimento defensivo

Dos 22 analistas que seguem a EDP, só seis recomendavam a compra, antes do anúncio da OPA. A maioria (14) sugeria manter a ação em carteira e dois defendiam a venda. Neste painel, o preço médio estava nos 3,17 euros, surgindo como máximo o valor de 3,60 euros.

Analistas contactados pela Reuters consideram que a oferta da CTG " é um movimento defensivo da estratégia, do projecto industrial que a CTG tem para a EDP" e do qual se assume como parceiro estratégico.

Além da participação no capital da EDP, a CTG já investiu mais 2 mil milhões de euros na compra de posições minoritárias em parques eólicos do maior grupo industrial de Portugal.

Por estes dias, a evolução do PSI-20, o principal índice da bolsa portuguesa vai depender sobretudo do desempenho da EDP, que carrega um peso de 12,5% no índice.

Altri em máximos

Sob o efeito de uma OPA chinesa está também a EDP Renováveis. Se já parecia bizarro que a CTG avançasse com um preço inferior à cotação da empresa (7,33 euros), as ações voltaram ontem a subir mais 2,7%, superando os 8 euros. Esta terça-feira, a EDP Renováveis desvaloriza ligeiramente (-0,06%).

Na sessão de ontem, também a Galp e a Altri estiveram em destaque, impulsionando o PSI. No caso da Altri, o mercado premiou a empresa com um recorde absoluto. (+4,1%). Esta terça-feira segue em modo de subida , acentuda, liderando os ganhos. mais 1,56%. O novo máximo está nos 6,49 euros.

A Galp beneficia da subida do preço do petróleo e está a negociar no valor mais alto em 10 anos. Na sessão de hoje perde 0,44%.

O PSI segue a desvalorizar ligeiramente, após uma srérie de sete sessões de ganhos. Jerónimo Martins, Galp e NOS registam as maiores descidas