Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

“O Governo não tem nada a opor”: Costa reage à OPA chinesa sobre a EDP

A China Three Gorges está a preparar o lançamento de uma oferta pública de aquisição (OPA) sobre a EDP, tal como o Expresso avançou esta sexta-feira em primeira mão

Expresso

O primeiro-ministro, António Costa, disse esta sexta-feira que “o Governo “não tem nada a opor” à OPA chinesa sobre a EDP. “Os chineses têm sido sido bons investidores em Portugal, quer na REN, quer na EDP, quer noutros sectores”.

Costa diz que Portugal é “um país aberto, que não tem uma visão fechada”. “Os chineses têm sido sempre respeitadores da legalidade do nosso país.”

O primeiro-ministro diz que “o que importa é que os acionistas possam avaliar o projeto e mais importante que saber quais são os acionistas é saber qual é o projeto que têm para a empresa - essa é que é a questão essencial”.

António Costa sublinha ainda que o Governo “não tem de ser informado sobre o negócio”. “A EDP é uma empresa privada, o Estado não tem qualquer participação, deixamos o mercado funcionar.”

A China Three Gorges está a preparar o lançamento de uma oferta pública de aquisição (OPA) sobre a EDP, de acordo com informações obtidas pelo Expresso.

A OPA acontece num momento em que o Estado chinês já detém 28,25% do capital da EDP, e depois de nos últimos meses se ter especulado no mercado que a elétrica portuguesa poderia vir a fazer parte do movimento de consolidação no sector energético europeu.

Entre as empresas que, pelo seu perfil, eram apontadas no mercado como potencialmente interessadas numa aquisição da EDP estavam a italiana Enel e a francesa Engie. A própria China Three Gorges já havia manifestado disponibilidade para reforçar no capital da EDP.