Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Preços dos combustíveis voltam a subir esta segunda-feira

luís barra

Os preços têm vindo a subir consecutivamente nas últimas semanas. Um litro de gasóleo custará mais meio cêntimo e a gasolina aumenta um cêntimo

Quando amanhã voltar a abastecer, os preços dos combustíveis terão voltado a subir. O gasóleo irá aumentar meio cêntimo por litro e a gasolina custará mais um cêntimo, segundo apurou o Expresso.

A subida do preço dos combustíveis tem vindo a acontecer repetidamente nas últimas semanas. No caso da gasolina, ainda que com uma descida pontual de um cêntimo há duas semanas, a tendência de aumento já se repete desde meados de março.

Segundo os dados da Direção-Geral de Energia e Geologia (DGEG), o preço médio de um litro de gasóleo simples custava no sábado 1,352€ e o litro de gasolina 95 estava a 1,559€, embora estes valores possam variar.

Dentro do preço final de venda ao público está incluído o custo base do combustível e ainda dois impostos - o ISP (Imposto Sobre Produtos Petrolíferos e Energéticos) e o IVA (Imposto de Valor Acrescentado). Neste momento, por cada litro de gasóleo o ISP rende ao Estado 47 cêntimos, enquanto no preço de cada litro de gasolina estão quase 66 cêntimos. A isso somam-se ainda os 23% de IVA.

Isso significa que se um litro de gasóleo simples custar 1,32 euros, dentro desse preço estão 0,47€ de ISP e 0,25€ de IVA. Ou seja, como mostram as estatísticas da DGEG, mais de metade do preço de um litro de combustível (54%) corresponde a impostos.

A tendência dos últimos 14 anos mostra que esse valor de imposto por litro tem vindo sempre a subir. Se atualmente no preço final de cada litro de gasóleo estão incluídos 47 cêntimos de ISP, no início de 2014 eram 30 cêntimos e em 2013 eram 37. No caso de um litro de gasolina 95, hoje são 66 cêntimos, enquanto em janeiro de 2014 eram 52 cêntimos e em 2013 eram 59. A sublinhar que, no caso do gasóleo, o valor atual de ISP por cada litro é o maior desde 2004, enquanto na gasolina chegou a ser mais alto em 2016.

Foi já a 1 de janeiro deste ano que entrou em vigor o último aumento do imposto sobre produtos petrolíferos (ISP). A portaria que definiu essa subida explicava que faltava "proceder à atualização, ao nível da inflação, do valor das taxas de ISP".

O aumento do preço do petróleo tem vindo a escalar nos últimos meses a está a atingir máximos de três anos - o barril de Brent chegou na sexta-feira aos 74,02 dólares. Com isso, a probabilidade de subida do preço dos combustíveis é também maior.

O impacto desta subida leva a reações como a da ANTRAM (Associação Nacional de Transportadores Públicos Rodoviários de Mercadorias), que admitiu na semana passada um aumento de tarifas caso não sejam postas em prática medidas que apoiem o sector, segundo afirmou o presidente da associação, Gustavo Paulo Duarte, em declarações à Antena 1.