Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Vista de luxo no parque vale €1 milhão

No projeto do arquiteto Manuel Ventura 
para o edifício Essenza 
há apartamentos 
com piscina privativa

d.r.

25 apartamentos reforçam a moldura urbana do Parque da Cidade, no Porto, com o mar no horizonte

O edifício só agora começa a ganhar forma junto ao Parque da Cidade, no Porto, mas mais de metade dos seus 25 apartamentos já estão vendidos. Oferecem áreas ajardinadas, varandas, terraços em deck, piscinas privativas em fibra de vidro, pérgulas e todo um conjunto de acabamentos de luxo estudado para atrair o segmento alto do mercado imobiliário.

O preço por metro quadrado ronda os €4500. “É um dos valores mais altos da cidade, mas há projetos no centro do Porto e na Foz que estão acima desta fasquia”, diz ao Expresso Ana Jordão, responsável pelo departamento residencial da Predibisa, a imobiliária que está a comercializar os apartamentos.

Desenhado com uma oferta alargada de tipologias T1 a T6, até aos 385 metros quadrados, o edifício Essenza tem, neste momento, apenas apartamentos de quatro e cinco quartos disponíveis para venda, o que significa que comprar uma das últimas casas disponíveis na moldura urbana do parque custará entre €1,1 milhões e €1,7 milhões.

E quem está a comprar estes apartamentos? “Maioritariamente, são os portugueses. Esta é uma das zonas mais procuradas do Porto e alguns apartamentos foram vendidos ainda em planta, mas os investidores são nacionais. Os estrangeiros costumam preferir o centro”, responde Ana Jordão.

Depois de anos de impasse e de muita polémica à volta dos terrenos na moldura do maior parque urbano do país, com os seus 83 hectares de área verde frente ao Oceano Atlântico, o imobiliário foi rodeando o Parque da Cidade, com alguns projetos premium, apostados na ligação a este pulmão verde junto à Foz.

Neste caso, o empreendimento nasce com cinco pisos e a assinatura do arquiteto Manuel Ventura, que já foi o autor do edifício Porta do Parque, onde a Predibisa também esteve envolvida. Aliás, mesmo em frente ao Essenza, do outro lado da Avenida do Parque, Manuel Ventura e a consultora imobiliária voltam a trabalhar lado a lado, na Quinta da Vilarinha, um conjunto de moradias unifamiliares que ficarão concluídas em 2019 e chegam ao mercado a €1,2 milhões, o que dá um preço médio de €3400 /m2, considerando a área de construção acima do solo.

O mercado manda

A localização é, nestes projetos, um trunfo de peso. A segurança também. No Essenza há videovigilância, sistema de deteção de intrusos, elevadores com codificação por pisos e um guarda sempre presente no lobby, onde todos os pormenores foram pensados pelo designer Paulo Lobo.

A construção está a cargo da Lucios. A promoção é da empresa Desafios Gerais. A Predibisa aparece ligada a este projeto residencial desde o início, acompanhando a fase de desenvolvimento, focada em garantir a adequação da oferta às necessidades do mercado neste novo empreendimento da freguesia de Aldoar, “uma das zonas com maior procura da cidade do Porto no sector imobiliário”, sublinha Ana Jordão.

No resultado final, isto traduz-se no protagonismo dado à paisagem, em casas inteligentes, com tecnologia de última geração, pavimentos radiantes, garagens individuais e terraços que podem chegar aos 176 metros quadrados.

Em média, o custo por metro quadrado na zona de Aldoar, onde o Essenza está a ser construído, ronda os €3 mil. Na Foz, o preço/m2 pode passar os €6000. No eixo Mouzinho/ Flores, no centro histórico do Porto, o valor pedido já atinge os €6500/m2, como acontece no empreendimento LSD, junto ao Largo de São Domingos.