Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Governo prevê superávites entre 2020 e 2022

Tiago Miranda

Meta está inscrita no Programa de Estabilidade e Crescimento, apresentado esta sexta-feira por Mário Centeno

O governo antecipa que o PIB volte a crescer 2,3% em 2019 e em 2020, abrandando para os 2,2% em 2021 e para os 2,1% em 2022. Em relação ao défice, a previsão é que desça para 0,7% este ano, 0,2% em 2019, chegando a um superávite de 0,7% em 2020 - que deverá engordar para 1,4% do PIB em 2021, ficando nos 1,3% do PIB em 2022.

Esta evolução das contas públicas "reflete um processo de consolidação orçamental concentrado num crescimento da despesa inferior ao perspetivado para o PIB nominal (redução do rácio da despesa de 2,5 pontos percentuais do PIB, ao longo do horizonte)", aponta o documento.

O Ministério das Finanças destaca "a redução do peso das despesas com pessoal (num contexto de modernização e de valorização da Administração Pública), prestações sociais e poupança em juros".

No que concerne à receita, "perspetiva-se uma diminuição em percentagem do PIB na ordem dos 0,5 pontos percentuais (redução do peso da receita fiscal e das vendas de 0,4 pontos percentuais e 0,1 pontos percentuais respetivamente)".