Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

António Rios Amorim é o vencedor do Prémio Empreendedor do Ano em Portugal

João Alves (presidente da EY Portugal), António Rios Amorim (presidente da Corticeira Amorim e vencedor do prémio Entrepreneur of the Year 2018) e Manuel Caldeira Cabral (ministro da Economia) na atribuição da distinção que junta Expresso e EY

Nuno Botelho

O Presidente do Conselho de Administração da Corticeira Amorim venceu o principal galardão do prémio que junta Expresso e EY. João Miranda e Nuno Sebastião foram os outros distinguidos da noite. Segue-se agora a gala internacional no Mónaco

"Já são grandes empresas. Conseguiram reinventar-se na forma de estar, com inovação e diferenciação, e são líderes nas respetivas áreas." Foi desta forma que o ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, deu os parabéns aos sete nomeados para o prémio Entrepreneur of The Year que hoje conheceu o galardoado da edição 2018, que juntou Expresso e EY.

Como fez questão de lembrar António Gomes da Mota, presidente do júri, "os sete são vencedores" mas o grande premiado foi só um. António Rios Amorim foi reconhecido como o Empreendedor do Ano numa gala realizada hoje no Convento do Beato em Lisboa e que juntou algumas das principais personalidades económicas do país. "É preciso manter uma visão de futuro", afirmou, perante a sala, que lançou um sentido aplauso quando falou "da pessoa que está a olhar de cima com orgulho", o tio, Américo Amorim.

No que toca aos outros dois prémios, o Internacional foi atribuído a João Miranda, presidente da Frulact que falou de "um projeto que espera amar por muitos mais anos". Já o prémio Inovação coube a Nuno Sebastião, CEO da Feedzai, que, por estar em permanência nos EUA, viu o prémio ser recebido pelo responsável pela comunicação da empresa, Igor Carvalho, que destacou "a responsabilidade social" do trabalho desenvolvido.

Recorde o perfil dos três premiados:

António Rios Amorim (presidente da Corticeira Amorim) venceu o prémio Empreendedor do Ano, e juntou-se a Manuel Caldeira Cabral (ministro da Economia) e João Alves (presidente da EY Portugal) na foto de família com os outros dois premiados: João Miranda (presidente da Frulact) com o prémio nternacional e Igor Carvalho (em representação de Nuno Sebastião, CEO da Feedzai) com o Inovação

António Rios Amorim (presidente da Corticeira Amorim) venceu o prémio Empreendedor do Ano, e juntou-se a Manuel Caldeira Cabral (ministro da Economia) e João Alves (presidente da EY Portugal) na foto de família com os outros dois premiados: João Miranda (presidente da Frulact) com o prémio nternacional e Igor Carvalho (em representação de Nuno Sebastião, CEO da Feedzai) com o Inovação

Nuno Botelho

Prémio EY Entrepreneur of the Year

António Rios Amorim
50 anos
Presidente do Conselho de Administração da Corticeira Amorim

“Já estou há 30 anos na Amorim. Não foi algo que começou ontem. Sempre fui preparado para estar aqui”, atira António Rios Amorim. À frente dos destinos de uma das empresas portuguesas com mais influência internacional — e a maior empresa mundial de produtos de cortiça, matéria-prima onde Portugal lidera — a responsabilidade é enorme. Sobretudo quando se segue as pegadas de um nome marcante do mundo empresarial como Américo Amorim, que criou o grupo sinónimo de cortiça com as próprias mãos. “Substituir uma pessoa com o brilhantismo do meu tio não é possí- vel. Seriam precisas 10 ou 15 pessoas para fazer o trabalho que ele fazia sozinho”, garante.

Por desafio do pai, foi estudar para o estrangeiro, primeiro para Inglaterra, depois para França (por causa da sua relevância enquanto mercado vinícola) e mais tarde nos EUA, onde passava “as noites a estudar e dias a visitar clientes e caves de vinho com os comerciais”. A maior aprendizagem, porém, reserva para o tio, porque acompanhá-lo “não foi um mestrado, foi um doutoramento!” António Rios Amorim “coloca a empresa acima de tudo”, até porque se há coisa de que não gosta, é jogar para o empate.

Prémio Internacional

João Miranda
53 anos
Presidente da Frulact

Filho de um “dos pioneiros a induzir e aplicar inovação nos produtos lácteos em Portugal”, João Miranda nasceu com o negócio no sangue. E alimentou-o no quintal de família, local de nascimento da Frulact, que classifica como “única empresa nacional do sector alimentar verdadeiramente multinacional.”

Numa área muitas vezes considerada “como tradicional e com pouca capacidade de criar valor”, agarrou com as duas mãos o desafio de inovar e canalizar a “irreverência” para um caminho que o havia de colocar entre o top 5 dos maiores fabricantes mundiais de preparados à base de fruta para a indústria alimentar. Nada que seria possível sem o alambique das traseiras de casa numa viagem que compara a uma montanha russa.

Prémio Inovação

Nuno Sebastião
39 anos
CEO da Feedzai

De Cantanhede para São Francisco, com passagem pelo espaço sideral. É um resumo muito por alto do percurso de Nuno Sebastião. Foi em Coimbra que estudou e cimentou conhecimentos (e com Luís Moura e Silva, outro dos finalistas ao prémio, como professor). Daí, partiu para a Agência Espacial Europeia onde “trabalhou como gestor do produto de simulação que permitia aos nossos astronautas terem um conhecimento mais profundo das missões que integravam.”
Entretanto, foi tirar um MBA para a London Business School e aí começou a germinar a ideia que haveria de dar fruto na Feedzai.

O caminho foi longo até à empresa que hoje é referência mundial pelo desenvolvimento no combate à fraude nos pagamentos com recurso à inteligência artificial. Mesmo com as duas bases, Cantanhede e São Francisco (tem ali “tudo em duplicado para evitar ter de andar com malas”), o local onde vive “é o mundo”, pois passa “substancialmente mais de metade do tempo a viajar.”

Um prémio global

Criado em 1986 pela EY, nos Estados Unidos, a distinção visa premiar os bons exemplos de empreendedorismo, baseando-se em critérios como a criatividade, a visão empresarial e o sucesso alcançado. Realizada em mais de 60 países, em Portugal já vai na sétima edição, onde já foram premiadas figuras como Belmiro de Azevedo, do Grupo Sonae; Dionísio Pestana, do Grupo Pestana; ou os fundadores da Vision-Box, Bento Correia e Miguel Leitmann, vencedores no ano passado.

Segue-se agora a gala internacional no Mónaco, em junho, para saber quem será o vencedor global. Cobertura que pode seguir no nosso site, na página do Expresso e nas redes sociais do grupo Impresa.