Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Facebook paga a quem encontrar apps que usem abusivamente dados dos utilizadores

Philippe Wojazer

A rede social anunciou esta terça-feira o lançamento do seu programa de bug bounty para detetar abusos relacionados com os dados dos utilizadores. Quem o conseguir, é recompensado

Quem conseguir ajudar o Facebook a encontrar aplicações que recolham e utilizem indevidamente os dados dos utilizadores, seja por terem sido roubados, vendidos ou utilizados para influência política, vai ser recompensado.

A tecnológica liderada por Mark Zuckerberg acaba de anunciar o lançamento do programa Bounty Data Abuse, inspirado no programa que a rede social já tem para identificar vulnerabilidades na segurança. Este tipo de programas são frequentemente lançados por empresas a nível mundial, que pagam a quem conseguir identificar falhas de segurança nos seus sites ou aplicações.

O programa é anunciado na sequência da polémica que envolve a empresa Cambridge Analytica, associada à campanha presidencial de Donald Trump, que é acusada de ter usado abusivamente os dados dos utilizadores para lhes direcionar publicidade e influenciá-los politicamente. Também a AggregateIQ é apontada como tendo recorrido a um esquema semelhante para influenciar a campanha a favor da saída do Reino Unido da União Europeia (Brexit).

A recompensa será oferecida a quem tenha “conhecimento em primeira mão” e “provas” de aplicações que usem os dados dos utilizadores indevidamente, em função do seu impacto.

“Embora não exista um máximo, relatórios de bug bounty de grande impacto já geraram até 40 mil dólares por pessoa que identificou abusos”, sublinha a empresa em comunicado. “Se confirmarmos o abuso, encerraremos a aplicação e, se necessário, tomaremos ação legal contra a empresa que vendou ou comprou os dados.”