Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Facebook pede ajuda aos utilizadores

Foto Dado Ruvic/ Reuters

Rede social está a simplificar os termos e condições e política de dados, para os tornar mais claros para as pessoas. Utilizadores têm sete dias para dar a sua opinião sobre estes

O Facebook está a atualizar os seus termos de utilização, de modo a simplificar e facilitar a sua leitura por parte dos utilizadores. A política de dados também está a ser atualizada, para que os utilizadores percebam mais facilmente que dados são recolhidos e como são utilizados no Facebook, Instagram, Messenger e outros produtos.

“Estas atualizações têm como objetivo tornar tudo muito mais claro”, sublinhou a rede social liderada por Mark Zuckerberg em comunicado. “O Facebook não está a pedir novos direitos de recolha, utilização e partilha de dados aos utilizadores, nem a alterar nenhuma das opções de privacidade feitas por estes até à data.”

Durante os próximos sete dias, os utilizadores poderão dar aqui a sua opinião ao Facebook sobre os termos de utilização e a política de dados - para os consultarem, basta entrarem na rede social e clicarem nos separadores “Termos” e “Privacidade”. Depois disso, a rede social irá publicar os novos documentos, solicitando aos utilizadores que concordem com eles no Facebook, incluindo também informação sobre as opções que os utilizadores têm em relação à sua privacidade.

Entre as atualizações que o Facebook está a realizar estão mais informação sobre os dados e publicidade. A rede social esclarece que “não vende os dados dos seus utilizadores a ninguém” e que clarificou “as circunstâncias de partilha de informação”. Além disso, esclarece que não partilha informação que identifica os utilizadores com os anunciantes - a não ser que estes deem permissão.

A empresa de Mark Zuckerberg esclarece ainda que Facebook, WhatsApp e Oculus fazem parte da mesma empresa, explicando a forma como os serviços, infraestruturas e informação são partilhados. Acrescenta ainda que, a partir de agora, Messenger e Instagram usam a mesma política de dados do Facebook.

A rede social adianta ainda informação específica sobre os dados que recolhe quando são sincronizados os contactos de alguns dos seus produtos, incluindo o histórico de chamadas e mensagens.