Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

€50 mil para reconhecer as melhores teses de energia

(Da esq. para a dir.) Os três primeiros classificados do Prémio REN 2017 foram distinugidos no final do ano passado. José Campos Costa ficou em terceiro lugar com uma tese sobre a fiabilidade de uma microrede de energia alimentada a energia solar. Bruna Costa Tavares foi a grande vencedora ao desenvolver um novo método para monitorizar a rede elétrica nacional que vai permitir que haja mais segurança de abastecimento. Já Rui Mirra Santos garantiu o segundo lugar ao estudar o aproveitamento das energias renováveis num edifício inteligente

José Caria

Abriu o período de candidaturas para a edição de 2018 do Prémio REN, que nas últimas quatro edições contou com o apoio do Expresso

Está de volta uma das distinções mais antigas do sector energético. São já 23 anos de Prémio REN, cujas candidaturas para a edição 2018 arrancam hoje e decorrem até 30 de abril. Com um prémio maior, novidades no júri e nas categorias do galardão que nos últimos quatro anos contou com o apoio do Expresso.

São €50 mil se juntarmos os três lugares do pódio. Ao vencedor será atribuído €25 mil, o segundo lugar receberá um prémio no valor de €15 mil, e o terceiro lugar, €10 mil. Além dos três primeiros postos, serão também conferidas um máximo de três menções honrosas, com um prémio de €2500 mil.

O Prémio REN distingue as melhores teses de mestrado realizadas em estabelecimentos de ensino superior portugueses, nos diferentes ramos da Engenharia, mas abrangendo também a Economia, Matemática, Física, Química, Sistemas de Informação e Computação. Área em que os doutoramentos passam também a estar contemplados numa nova categoria que terá uma frequência bianual. O que quer dizer que podem concorrer todas as teses que tenham sido defendidas nos dois anos letivos anteriores a cada ano em que se entrega a distinção.

Novidades que também chegam ao júri presidido João Peças Lopes, a quem se juntam três novos elementos no painel de 12 pares responsável por avaliar as candidaturas. Saiba mais neste site e acompanhe os principais desenvolvimentos no Expresso e nas plataformas sociais do grupo Impresa.