Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Dueto de alta cozinha entre as vinhas do Dão

Quinta de Lemos lança ciclo de jantares confecionados em conjunto por grandes 'chefs', que se vão repetir ao longo do ano. Ricardo Costa, 'chef' do The Yeatman com duas estrelas Michelin, foi o primeiro a juntar-se a Diogo Rocha, 'chef' da casa

Diogo Rocha, 'chef' da casa, trouxe ao Dão Ricardo Costa, 'chef' do The Yeatman, num jantar em que não faltaram míscaros da floresta, bacalhau ou leitão

Diogo Rocha, 'chef' da casa, trouxe ao Dão Ricardo Costa, 'chef' do The Yeatman, num jantar em que não faltaram míscaros da floresta, bacalhau ou leitão

d.r.

Juntar grandes talentos nacionais da cozinha e levar o melhor que se faz em gastronomia ao Dão, região que se orgulha de ser “a mais antiga região produtora de vinho em Portugal”, é o objetivo do restaurante Mesa de Lemos, ao lançar um ciclo de jantares confecionados por 'chefs' a quatro mãos, numa iniciativa que chamou de 'Chefs a Lemos'.

Inserido na Quinta de Lemos, onde se produzem vinhos exclusivos, o próprio restaurante em Passos de Silgueiros, no concelho de Viseu, é um dos segredos mais bem escondidos do Dão.

O restaurante Mesa de Lemos fica no interior da quinta produtora de vinhos em Passos de Silgueiros

O restaurante Mesa de Lemos fica no interior da quinta produtora de vinhos em Passos de Silgueiros

O primeiro dos jantares 'Chefs a Lemos' decorreu a 24 de março, com Ricardo Costa, 'chef' com duas estrelas Michelin do The Yeatman, a juntar-se a Diogo Rocha, o 'chef' da casa.
Com um menu harmonizado com vinhos 'premium' da Quinta de Lemos, Ricardo Costa trouxe ao restaurante do Dão uma fresquíssima entrada 'Berbigão Nitro', seguida de uma mais consistente 'Ovo... Y Lingueirão, Coentros, Presunto', sendo o seu prato principal 'Leitão - Abacate, Lima, Mole' e a sobremesa 'Mirtilos - Mascarpone, Lima kaffir, Baunilha'.

Ricardo Costa e Diogo Rocha a trabalhar em conjunto no jantar 'Chefs a Lemos'

Ricardo Costa e Diogo Rocha a trabalhar em conjunto no jantar 'Chefs a Lemos'

“Pensei em pratos que se podiam adaptar a esta região, é sempre um desafio saír da nossa zona de conforto, poder partilhar o que fazemos e cozinhar uns com os outros, gosto desta sinergia que se criou a nível nacional”, considerou Ricardo Costa nos preparativos para o jantar no Mesa de Lemos.

Frisando que “quando se tem duas estrelas Michelin a responsabilidade é muito grande”, Ricardo Costa garantiu: “Para mim, que sou da região de Aveiro, dá-me um prazer muito grande fazer determinados pratos, como por exemplo leitão, que são impensáveis quando se tem duas estrelas Michelin. Mas neste patamar gosto de fazer uma cozinha diferente, de contar histórias através da comida”.

O prato de bacalhau assinado pelo 'chef' Diogo Rocha

O prato de bacalhau assinado pelo 'chef' Diogo Rocha

Diogo Rocha, o 'chef' da casa, optou neste jantar por levar à mesa quatro momentos, cobrindo todo o ciclo desde a entrada à sobremesa: 'Da Floresta, os Míscaros', 'De Peniche, o Polvo', 'Da Islândia, o Bacalhau' e 'Da nossa Horta o Kiwi'.

No menu partilhado com Ricardo Costa, Diogo Rocha reconhece que “são duas cozinhas diferentes e a ideia foi casá-las, pois o tema aqui é a amizade, a partilha entre 'chefs', e nós temos sempre esta missão catalizadora de sermos quase como embaixadores das regiões através da comida”.

A Quinta de Lemos tem 50 hectares, metade dos quais para produção de vinhos da casa que só se vendem em garrafeiras

A Quinta de Lemos tem 50 hectares, metade dos quais para produção de vinhos da casa que só se vendem em garrafeiras

A Quinta de Lemos tem ao todo 50 hectares, dos quais 25 hectares de vinhas, que dão origem aos vinhos da casa - que não se vendem em supermercados, mas apenas em restaurantes selecionados ou garrafeiras, a preços que variam entre €20 e €60.

Além da vinha, a Quinta de Lemos também integra três mil hectares de oliveiras e colmeias para a produção de mel.

A quinta tem servido de 'quartel-general' da marca têxtil Abyss & Habidecor, reputada por ter “as melhores toalhas e tecidos do mundo”, e que vende em lojas de topo desde os Estados Unidos ao Médio Oriente. A fábrica da Abyss & Habidecor fica na aldeia de Mundão, nas proximidades da Quinta de Lemos, sendo ambas propriedade de Celso de Lemos, empresário português natural de Viseu e que vive na Bélgica.

Não sendo uma unidade hoteleira aberta ao público, a Quinta de Lemos tem três quartos de decoração exclusiva que funcionam para receber convidados privados que podem ser clientes da empresa têxtil ou dos vinhos da quinta, mas também “amigos ou família”. Por ano, ficam a dormir na Quinta de Lemos cerca de uma centena e meia de pessoas.

Com três quartos exclusivos para receber convidados, a previsão da quinta é integrar um hotel

Com três quartos exclusivos para receber convidados, a previsão da quinta é integrar um hotel

“O meu pai quis nesta quinta mostrar tudo o que Portugal tem de bom, sobretudo aos convidados que vêm de fora”, salienta Pierre de Lemos, responsável pela operação da quinta, e filho do empresário Celso de Lemos. “Seguindo a vontade do meu pai, aqui tem de ser tudo feito com muita qualidade, os vinhos têm de ser de excelência, e podíamos produzir três a quatro vezes mais. Para conseguir este nível de qualidade, só usamos 30% das uvas que colhemos, tem de haver uma grande seleção”.

Para quando um hotel na Quinta de Lemos? “A ideia de ter aqui um hotel também é representar o que Portugal tem de melhor”, garante Pierre de Lemos. “Estamos a analisar e não é previsível para já. Mas abrir um hotel é algo que iremos fazer nos próximos cinco anos”.