Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Dados são ouro dos tempos modernos

Inteligência de Dados & Conhecimento foi o tema em debate na Power Talk Ativar o Futuro, que decorreu esta manhã na sede do Expresso

NUNO FOX

Transformar informação em conhecimento trará enormes ganhos às organizações. Uso da inteligência artificial será essencial

Fátima Ferrão

Em 2020 serão produzidos tantos dados como nos últimos 30 anos, pelo que o grande desafio das organizações será transformá-los em informação útil para os seus negócios. Esta foi uma das grandes conclusões retiradas do debate que marcou mais uma edição das Power Talk Ativar o Futuro, que decorreu esta manhã na sede do Expresso.

À mesa da discussão sobre Inteligência de Dados & Conhecimento estiveram Carlos Costa Pina, Administrador da Galp, José Gonçalo Regalado, diretor de marketing operacional de empresas do Millennium BCP, Pedro Penalva, CEO da AON, e Tiago Galvão, CEO da Alliance Healthcare. A moderar a conversa esteve Bernardo Ferrão, subdiretor de Informação da SIC.

Para introduzir o tema, Sandra Miranda Ferreira, Customer Success Lead da Microsoft Portugal, apresentou alguns dados que determinam os desafios que as organizações enfrentam, não apenas num futuro próximo, mas desde já. "Assistimos a um ritmo de transformação sem precedentes", disse, antes de apresentar números que sustentam estas alterações. Segundo a consultora IDC em 2020 os "ganhos obtidos pelas organizações que consigam transformar dados em conhecimento ascenderão a 430 mil milhões de dólares". Valores que impressionam mas que apenas serão possíveis com o contributo de tecnologias como a inteligência artificial (IA). Diz a mesma consultora que 85% das organizações utilizará a IA em 2020.

Nas grandes empresas nacionais há, no entanto, uma longa caminhada a percorrer até que consigam retirar o máximo partido da análise de dados. "Estamos todos no princípio do caminho", acredita Carlos Costa Pina. O grande desafio atual é, para o gestor, "reinventar os processos de negócio, avaliar e preparar a transformação digital".

Opinião partilhada por José Gonçalo Regalado, que reforça: "Os dados são o ouro dos tempos modernos". Para o diretor de marketing, a digitalização veio acelerar a necessidade de extrair cada vez mais informação a partir dos dados produzidos pelas empresas.

"A capacidade de resposta integrada à gestão dos dados é um desafio e uma oportunidade", junta Pedro Penalva. Um desafio de transformação, por um lado, e uma vantagem competitiva para as organizações que demonstrarem maior resiliência na sua concretização.

Já no setor da saúde, Tiago Galvão acredita que poderão poupar-se milhões de euros com uma eficiente análise e utilização dos dados gerados, por exemplo, pela rede nacional de farmácias. Tratamentos personalizados e uma melhor gestão de stocks de medicamentos são alguns dos exemplos que apresenta. No limite, acrescenta, a análise preditiva dos dados permitirá evitar crises e epidemias geradas, por exemplo, a partir de fenómenos climáticos, dando origem a planos de contingência.