Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Contas públicas com excedente de 258 milhões de euros até fevereiro

As Administrações Públicas registaram um excedente global de 258 milhões de euros nos dois primeiros meses do ano, avança o Ministério das Finanças. Este valor representa uma melhoria de 231 milhões de euros face ao período homólogo

As contas públicas portuguesas registaram um excedente de 258 milhões de euros nos dois primeiros meses deste ano, avança uma nota do Ministério das Finanças sobre a síntese de execução orçamental que será divulgada esta terça-feira.

Este valor representa uma melhoria de 231 milhões de euros face ao mesmo período do ano passado.

Uma evolução que as Finanças explicam com um crescimento da receita (4,7%) superior ao da despesa (2,8%).

Ao mesmo tempo, o excedente primário (que não considera os juros da dívida pública) ascendeu a 1 999 milhões de euros, tendo aumentado 482 milhões de euros relativamente a 2017.

"O comportamento da receita acompanha a evolução favorável da atividade económica e do emprego", destaca o Ministério das Finanças.

Sinal disso, até fevereiro, a receita fiscal do subsetor Estado cresceu 8,1%, "tendo-se ainda observado um crescimento dos reembolsos de 20%, representando mais 230 milhões de euros", lê-se na nota.

"A receita beneficiou ainda do comportamento do mercado de trabalho, visível no forte crescimento de 7,6% das contribuições para a Segurança Social", apontam o documento.

Quanto à despesa, as Finanças destacam que "cresce em linha com os compromissos assumidos no OE-2018" e que a "despesa no Serviço Nacional de Saúde atinge máximos do período pré-troika".

Segundo as Finanças, o aumento de apenas 2,8% da despesa reflete o fim do pagamento do subsídio de natal em duodécimos e "ainda não se ter materializado integralmente o efeito do descongelamento das carreiras" na função pública.

Contudo, "destaca-se a despesa no sector da saúde, com um acréscimo no Serviço Nacional de Saúde de 4,3%, bastante acima do orçamentado", lê-se na nota das Finanças.