Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Google entra no negócio das assinaturas de jornais

Em Portugal ainda não há nenhuma publicação a aderir ao sistema Subscribe With Google, que visa facilitar a assinatura digital de meios de comunicação social e através do qual a Google fica com 15% das receitas e os grupos de media com 85%

Catarina Nunes

Catarina Nunes

Em Londres. O Expresso viajou a convite da Google

Jornalista

A Google anunciou um sistema que permite aos jornais venderem assinaturas digitais diretamente só com um clique sem necessidade de preencher questionários, ter palavras-passe e cartões de crédito. O anúncio foi feito esta terça-feira por Philipp Schindler, chief business officer da Google, em videoconferência a partir da Califórnia, em direto para os participantes na Advertising Week Europe, evento dirigido aos jornalistas europeus que decorre esta semana em Londres.

Os primeiros a aderir ao Subscribe With Google foram o Financial Times, The Telegraph, New York Times, Washington Post, Les Echos, Le Figaro, Fairfax Media, Grupo Globo, Gannett, Gatehouse Media, The Mainichi, La Nacional, NRC Group, Le Parisiense, Reforma, La Repubblica e McClatchy. Em Portugal ainda não há nenhum editor ou grupo de media com esta parceria, mas a Google avança que “adoraria ter um parceiro em Portugal”, refere ao Expresso um porta-voz da empresa.

Das receitas das assinaturas, 15% vão para a Google e os restantes 85% para o editor ou publicação.

"O jornalismo de qualidade é importante para as sociedades, para a democracia e também para a Google. Sempre acreditámos que o futuro da Google e dos nossos parceiros editores está ligado", afirma Philipp Schindler. "Se os nossos parceiros não crescerem, nós não crescemos", acrescenta.

Este ano a Google está a reforçar as iniciativas em parceria com os editores, ao lançar um pacote de investimentos para aplicar em projetos de media, no valor de 300 milhões de dólares (244,3 milhões de euros) para os próximos três anos, denominado Google News Initiatives. Este pacote é o sucessor do Digital News Initiative, que tinha um orçamento trianual de 150 milhões de euros, o que significa que a Google está praticamente a triplicar os investimentos nas parcerias para a digitalização dos media tradicionais.