Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

F. Ramada entrou bem na Bolsa mas já está a negociar em baixa

A empresa que substituiu a Novabase no índice PSI20 começou em alta, a subir 1,53% para os €13,30, mas a tendência inverteu-se e está agora a cair precisamente 1,53% para os €12,9

A F.Ramada, que opera no segmento dos aços, sistemas de armazenagem e gestão de ativos florestais, estreou-se esta segunda-feira no PSI20, no âmbito da revisão anual do índice de referência da bolsa nacional, substituindo a Novabase.

A estreia da empresa começou bem, a negociar em terreno positivo, a subir 1,53%, mas menos de uma hora após a abertura do PSI 20 já estava a perder gás. E os títulos estão a cair 1,53% para os 12,9 euros.

O PSI-20 continuará a contar com 18 cotadas: F. Ramada, Altri, BCP, Corticeira Amorim, CTT, EDP, EDP Renováveis, Galp, Ibersol, Jerónimo Martins, Mota-Engil, NOS, Pharol, REN, Semapa, Sonae, Sonae Capital, Navigator.

Em 2017, a F. Ramada, liderada por João Borges de Oliveira, mais do que quadruplicou (crescimento de 307,2%) o lucro, face ao ano anterior, para 56,7 milhões de euros.

As receitas totais subiram 15,2% para 158,2 milhões de euros e o resultado antes de impostos, juros, depreciações e amortizações (EBITDA) cresceu 16,4% para 24,8 milhões de euros.

Os custos totais, excluindo amortizações, resultados financeiros e impostos sobre o rendimento, cresceram 15% para 113,4 milhões de euros, no período em análise.

O índice PSI-20 é revisto trimestralmente em junho, setembro e dezembro, sendo a revisão anual completa em março.