Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Bolsa. Pharol cai 6,23%

Mas PSI20 está em terreno positivo, em linha com as principais praças europeias

O PSI20, o principal índice da Bolsa de Lisboa (PSI20), abriu esta quinta-feira a subir 0,51%, nos 5.366,80 pontos, apesar da pressão negativa da Pharol, que cai 6,23%.

A Pharol já tinha fechado a sessão de ontem a perder 5,78%, caindo para 0,212 euros, afetada pelos problemas com a brasileira Oi, onde a empresa liderada por Palha da Silva tem uma participação próxima dos 20% pela portuguesa.

Ainda, ontem, ao final do dia, foi comunicado que Luís Palha da Silva, presidente da Pharol, foi suspenso de funções na administração da operadora brasileira.

No entanto, apesar da queda da Pharol, o PSI20 segue com 14 cotadas em alta, em linha com as principais praças europeias. É uma tendência de alta marcada com a marca do BCP (+0,69%) e EDP (1,16%).

Os CTT são outro dos destaques da sessão: as ações abriram a cair, mas já seguem em terreno positivo, a ganhar 2,09. Ontem a empresa anunciou uma queda de 56% nos lucros, para 27,3 milhões de euros, mas anunciou, também, um dividendo de 38 cêntimos, o que corresponde a mais do dobro dos lucros do ano passado.

A marcar a sessão de hoje há a expetativa sobre a reunião do Banco Central Europeu, com o mercado a antecipar que não haverá mudanças na mensagem do banco centra sobre a sua política de estímulos monetários e taxas de juro.

A agitar os mercados continua, também, o cenário de uma guerra comercial, caso o presidente Donald Tump confirme a intenção de agravar as taxas sobre a importação de aço e de alumínio em 25 % e 10%, respetivamente.