Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Ferrovia. Costa e Rajoy selam juntos o “último elo”

Mariano Rajoy e António Costa vão estar juntos 
em Elvas na próxima semana

FOTO rui duarte silva

Os responsáveis pelos Governos de Portugal e Espanha lançam em conjunto concurso de Évora-Elvas, o missing link que faz parte do corredor internacional sul e que ligará o porto de Sines até à fronteira com Espanha, permitindo escoar os produtos que ali chegam por via férrea

Luísa Meireles

Luísa Meireles

Redatora Principal

Na linguagem do meio chamam-lhe o missing link. No caso, quer dizer o último troço de linha férrea que falta para que Portugal integre a rede transeuropeia de transportes: Évora-Elvas, num total de 94 quilómetros e 509 milhões de euros, dos quais quase metade provenientes dos fundos europeus.

O concurso vai ser lançado em cerimónia solene esta segunda-feira, 5 de março, no Museu de Arte Contemporânea de Elvas, na presença de António Costa e de Mariano Rajoy, que vem expressamente à cidade alentejana para ‘celebrar’ o evento. O missing link faz parte do corredor internacional sul que ligará o porto de Sines até à fronteira com Espanha e vai permitir escoar os produtos que ali chegam por via férrea.

O lançamento é agora, mas faltará tempo para ver a linha tomar forma. A obra, em si, não deverá começar antes do primeiro trimestre de 2019 e a sua conclusão está prevista para três anos depois, em 2022. No Ministério do Planeamento e das Infraestruturas, assinala-se que há mais de um século que não se construíam tantos quilómetros de linha. O ministro Pedro Marques estará, aliás, presente, bem como a ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, e a comissária europeia dos Transportes, Violeta Bulk.

Meia hora antes, também em Elvas, terá lugar o ato simbólico de início de outra obra ferroviária: a modernização dos 11 quilómetros de linha que ligam Elvas a Caia, na fronteira, e que estará pronta daqui a um ano. O custo total previsto é de 23 milhões de euros (60% do OE, 40% da Europa).

Todo o dia será dedicado à ferrovia. À tarde, na Covilhã, a comissária assistirá com o ministro Pedro Marques ao início da obra de requalificação e eletrificação da linha Covilhã-Guarda, encerrada há 10 anos. Retomará uma ligação perdida entre as linhas da Beira Baixa e da Beira Alta, o que se torna relevante não só para o desenvolvimento do interior, como para as exportações e ligações internacionais. Serão 46 quilómetros com um custo total de €85 milhões (68 provenientes do PT2020 e 17 do OE), que deverão entrar em funcionamento no segundo semestre de 2019.

O tema das ligações ferroviárias foi um dos que foram discutidos entre Costa e Rajoy, na última cimeira bilateral, em Vila Real (maio de 2017), no âmbito das “questões transfronteiriças”. A ideia prevalecente nos dois países é “trabalhar e avançar em conjunto”, segundo disse ao Expresso fonte do Ministério do Planeamento. Para a comissária, é importante por sua vez num momento em que se discute o próximo orçamento, em que Violeta Bulk gostaria de ver reforçada a verba para as redes transeuropeias.