Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Comércio a retalho. Vendas sobem, mas abrandam

Produtos alimentares ditam abrandamento das vendas a retalho. Índice ganha 5,4% em janeiro. Um mês antes estava nos 5,6%

As vendas no comércio a retalho cresceram 5,4% em janeiro face ao mesmo mês do ano passado, anunciou hoje o Instituto Nacional de Estatística (INE), admitindo um abrandamento de 0,2 pontos percentuais face ao registo de dezembro (5,6%).

A explicar este movimento, o INE refere a desaceleração de 1,1 pontos percentuais no agrupamento de produtos alimentares, para os 3,1%. Em sentido contrário, os produtos não alimentares ganharam 0,6 pontos percentuais, atingindo os 7,3%.

Em termos nominais, o índice agregado aumentou 5,4% em janeiro (6,4% em dezembro), com as subidas dos índices dos agrupamentos Produtos Alimentares e Produtos não Alimentares a situarem-se, respetivamente, nos 4,0% e nos 6,5%, abaixo das percentagens de 6,2% e 6,6% relativas a dezembro.
Os índices de emprego, de remunerações e de horas trabalhadas ajustadas de efeitos de calendário, apresentaram subidas homólogas de 3,5%, 5,9% e 1,2%, respetivamente. No último mês do ano passado, estas percentagens tinham sido de 3,3%, 6,6% e 0,1%.

O emprego no sector do retalho aumentou 3,5% em termos homólogos, em alta face aos 3,3% do mês anterior.

As remunerações dos trabalhadores do comércio a retalho subiram 5,9% face a janeiro de 2017 e e o número de horas trabalhadas aumentou 1,2%.