Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

António Mexia ganhou 2,29 milhões de euros em 2017

António Mexia é presidente-executivo da EDP desde março de 2006

Luis Barra

O presidente executivo da EDP recebeu, entre salário-base e prémios de desempenho, 2,29 milhões de euros de remuneração bruta em 2017, ano em que o lucro da empresa cresceu 16%.

Miguel Prado

Miguel Prado

Jornalista

O presidente executivo da EDP, António Mexia, embolsou 2,29 milhões de euros de remunerações brutas em 2017, mais 15% do que tinha recebido em 2016, revelam as contas publicadas quinta-feira pela elétrica.

António Mexia auferiu em 2017 um vencimento-base de 984 mil euros (mais 4,8% que em 2016), ao qual somou um prémio de 584 mil euros pelo desempenho do ano anterior (mais 47% do que o prémio recebido em 2016, relativo aos resultados da empresa em 2015) e ainda um prémio de 720 mil euros como remuneração diferida de longo prazo, relativa aos resultados de 2014 (9,7% acima da remuneração de longo prazo auferida em 2016).

Globalmente, a EDP gastou em 2017 um total de 11,87 milhões de euros com o seu conselho de administração executivo, mais um milhão do que em 2016, o que corresponde a um aumento de 9%.

Em 2017 o lucro da EDP cresceu 16%, para 1113 milhões de euros, depois de em 2016 ter subido 5%.

As remunerações variáveis dos administradores executivos dependem, entre outros critérios, da evolução dos resultados líquidos e operacionais, do retorno para os acionistas, da sua comparação com índices bolsistas nacionais internacionais e do rácio de endividamento.

Mexia: um gestor caro ou barato para a empresa?

A remuneração total de António Mexia em 2017 equivaleu a 0,2% do lucro anual da EDP. Embora seja um dos gestores mais bem pagos do país, Mexia está ainda longe das remunerações dos gestores mais bem pagos do sector energético na Europa.

A título de comparação, o presidente executivo da Iberdrola, Ignacio Galán, recebe quatro vezes o que Mexia aufere. Galán recebeu 9,47 milhões de euros em 2017, mais 1,3% que no ano anterior.

O vencimento de Ignacio Galán correspondeu a 0,34% do lucro da Iberdrola em 2017, que foi de 2,8 mil milhões de euros.

Por outro lado, a Iberdrola tem hoje uma capitalização bolsista de 38,5 mil milhões de euros, que é quase quatro vezes a capitalização da EDP, que ronda os 10 mil milhões de euros.